Cresce a inadimplência em Telecomunicações

0
13

Em setembro, o segmento de telecomunicações novamente foi líder em inadimplência ao registrar índice de cheques devolvidos de 6,2%, o que representa alta de 3,8% em relação a agosto (5,97%), revela pesquisa mensal da Telecheque. Para medir a inadimplência nas lojas de aparelhos telefônicos, a Telecheque levou em conta os valores dos cheques e não a quantidade de folhas de cheques devolvidas.

Segundo o vice-presidente da Telecheque, José Antônio Praxedes Neto, “o aumento da inadimplência nesse segmento foi bastante influenciado pelas compras pré-datadas de celulares para presentes do Dia dos Namorados, data em que há um forte apelo publicitário para aquisição desse tipo de produto, sobretudo porque as operadoras passaram a dar grandes descontos nas tarifas de ligações”. Segundo ele, a popularização do celular nas classes sociais com menor poder aquisitivo (classes C e D) é um dos principais fatores que tem levado esse segmento ao posto de nº 1 em inadimplência em todo este ano.
O segundo pior desempenho no ranking por segmento foi do ramo de cosméticos e perfumarias, que apresentou índice de inadimplência de 4,65%, superior 26,7% comparado ao de agosto (3,67%). Em seguida ficou o segmento de roupas unissex, com índice de cheques devolvidos de 4,48%, embora o indicador seja menor 5,4% no comparativo com agosto (4,74%).

Já o segmento que apresentou o melhor desempenho foi o de entretenimento (lazer, termas, cinemas, teatros e boates), com índice de cheques honrados de 99,27% e de cheques devolvidos de apenas 0,41%. O ramo de materias de construção e comércio de ferragens, em segundo lugar, apresentou índice de cheques honrados de 98,17% e índice de inadimplência de 1,66%. Em terceiro lugar ficou o segmento de comércio de automóveis, ramo em que 97,89% das transações com cheques foram honradas. O índice de cheques devolvidos foi de 1,77%.
Vale destacar o desempenho de outros segmentos, como o de postos de gasolina, farmácias e drogarias e eletrodomésticos. Em setembro, a inadimplência no segmento de postos de gasolina, de 1,85%, foi 2,2% maior comparada à de agosto (1,81%). Já no segmento de farmácias e drogarias, o índice de cheques devolvidos, de 2,14%, foi 1,8% menor em relação ao do mês anterior (2,18%). No segmento de eletrodomésticos o índice de inadimplência, de 2,01%, representou alta de 30,5% no comparativo com agosto (1,54%).