Cresce o número de cheques devolvidos

0
0

O valor total de cheques devolvidos por falta de fundos nos últimos 12 meses soma R$ 64,3 bilhões, foi o maior desde 1998, quando a soma dos valores dos cheques devolvidos entre os meses de maio de 1997 e abril de 1998 somaram R$ 29 bilhões. Em abril de 2004, do total de 171,5 milhões de cheques compensados, 9,3 milhões foram devolvidos por falta de fundos, isso significa que, a cada mil cheques compensados, 54 não tinham saldo.
Apesar disso os comerciantes tem um motivo para comemorar, é que o resultado foi 3,3% menor em comparação com o mesmo mês do ano anterior. Naquele período, de cada mil cheques compensados, 56 eram frios. Esse é o segundo mês consecutivo no ano, que são registradas baixas no número de cheques devolvidos por falta de fundos. No entanto, nos primeiros quatro meses do ano, o valor total dos cheques devolvidos por insuficiência de saldo alcançou a quantia de R$ 21,3 bilhões, no mesmo período de 2003, o valor foi de R$ 20,8 bilhões, ou seja, meio milhão de reais a menos.
Em São Paulo, estado com maior volume de cheques compensados, de cada mil cheques compensados em abril, 48 foram devolvidos por falta de fundos, revela levantamento da CheckOK. Na comparação com abril de 2003, quando foram devolvidos 52 cheques a cada mil compensados, a variação foi 7,5% menor. Os dados da CheckOK, têm como base os dados fornecidos pelo Banco Central e referem-se aos cheques sem fundos devolvidos pela primeira e segunda vezes.
O valor médio dos cheques sem fundos também apresentou evolução. “Em abril, o valor médio foi de R$ 508,13, o maior registrado desde fevereiro de 2003, quando apresentou média de R$ 510,51”, diz Gustavo Pedreira analista financeiro da ABM Consulting. Na opinião de Pedreira, os resultados desanimadores tem a ver com um péssimo desempenho do País no primeiro ano do governo do PT. “No ano passado, o consumidor enfrentou juros altos, queda no rendimento e a alta do desemprego, o que refletiu em suas compras.”