Crescem as vendas de eletroeletrônicos

0
8



As vendas de produtos eletroeletrônicos de consumo tiveram um crescimento de 8,55% no primeiro trimestre deste ano, comparado ao mesmo período do ano passado, segundo a Eletros – Associação Nacional de Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos. Fatores como a queda no preço dos produtos, redução das taxas de juros e ampliação dos prazos de pagamento, contribuíram para esse incremento de vendas. “Verifica-se um movimento mais forte de recuperação da demanda favorecido pela melhora no poder aquisitivo e redução nos preços”, ressalta Lourival Kiçula, presidente da Eletros, em cuja avaliação essa tendência deve se manter ao longo deste ano.


As vendas de eletroportáteis – favorecidas pelo Dia das Mães, a segunda melhor data para o setor – cresceram 18,44% no primeiro trimestre deste ano. O desempenho mostra uma forte mudança no comportamento do mercado de portáteis, que registrou vendas apenas 2,28% maiores no ano passado e uma queda de 1,83% em 2005. As vendas de liquidificadores foram 23,51% maiores e as de aspiradores de pó, 37,04%. “Além do preço unitário baixo dos produtos, o lançamento de novidades em produtos como os liquidificadores estimularam as vendas deste segmento”, observa Lourival.


Na linha branca, o crescimento foi de 11,74% em relação ao primeiro trimestre do ano passado, puxado pela venda de refrigeradores, que foi 24,17% maior. Outros produtos também tiveram bom desempenho: as lavadoras automáticas cresceram 8,72% em vendas, e as lava-louças, 48%. No caso dos refrigeradores, um dos fatores que têm estimulado as vendas, segundo o presidente da Eletros, é o interesse por produtos mais eficientes em termos de consumo de energia. “A nova geração de refrigeradores consome, em média, de 20 a 50% menos energia do que refrigeradores com mais de 10 anos de uso”, afirma o presidente.


Já a linha de imagem e som registrou modesto crescimento de 2%, depois de bater recordes de vendas em 2006 e 2005 puxada principalmente pelas vendas de televisores. No primeiro trimestre deste ano, as vendas desta linha foram puxadas pelos rádios-gravadores, com incremento de 22,93%, e pelos aparelhos de DVD, que foram 8,53% maiores do que igual período do ano passado. Já os televisores registraram recuo de 6,2%.


“Esta retração é apenas uma acomodação do mercado, após períodos de forte crescimento”, explica Kiçula. Além disso, há uma mudança no perfil do mercado. “Os consumidores estão migrando para as telas de plasma e de LCD, que têm um custo unitário maior e, conseqüentemente, vendas menores em unidades”, observa o presidente da Eletros. No primeiro trimestre, as vendas de plasma e LCD registraram crescimento de 40% e251%, respectivamente.