Crescendo passo a passo

0
12



A sustentabilidade cresce cada vez mais como um fator de escolha do consumidor. Em países desenvolvidos, é comum o cliente optar por um produto ao invés de outro ao saber que ele foi desenvolvido de maneira ecologicamente correta, como coloca Alejandro Pinedo, diretor geral da Interbrand, consultoria internacional de marcas. Já no Brasil e em outros países menos desenvolvidos, o cliente ainda leva em conta o preço. “A cada dia, mais empresas estão cientes da importância da sustentabilidade e vendo benefícios em investir. No Brasil, isso ainda é incipiente. Tem-se o início de um movimento”, analisa, em entrevista exclusiva ao portal ClienteSA.

 

Apesar dos avanços, na maioria dos casos, as empresas ainda fazem pequenas ações muito mais com o objetivo de “parecerem” politicamente corretas do que “efetivamente serem” empresas com práticas sustentáveis, de acordo com Pinedo. “Muitas olham para isso como um benefício de imagem. Porém, quando o objetivo é esse, as ações não perduram e rapidamente o cliente percebe que não há um fundamento por trás”, critica.

 

Hoje, não há um dimensionamento do número de empresas que possuem ações de sustentabilidade, contudo, é possível tomar como referência dois indicadores. Pinedo explica que um deles é a quantidade de empresas que estão listadas na BMF&Bovespa no ISE, Índice de Sustentabilidade Empresarial. “Há 51 ações de 38 companhias. Elas representam 18 setores e somam R$ 961 bilhões em valor de mercado, o equivalente a 43,72% do total do valor das companhias com ações negociadas na BMF&Bovespa, em novembro de 2011”, detalha o consulto.

 

A outra referência é um estudo realizado no Brasil por dois professores da Harvard Business School, Robert G. Eccles e George Serafeim. “A pesquisa aponta que 75 empresas já produzem relatórios de sustentabilidade, levando em consideração as empresas listadas na bolsa”, informa Pinedo, ponderando que no Brasil, apenas a Natura realiza o relatório integrado, que combina as informações financeiras  com as informações de sustentabilidade. “O relatório integrado é uma ótima ferramenta importante nesse processo, pois mostra que sustentabilidade traz retorno financeiro”, complementa.