Crescimento do mercado de luxo

0
10
O mercado mundial de bens de consumo de luxo pessoais está estável, mesmo com rendimento econômico fraco na Europa, a crise de mercado na Rússia e flutuações de câmbio monetário ao redor do mundo. O crescimento das vendas no primeiro trimestre de 2014 está em linha com os números do ano todo de 2013 e é esperado que continue assim até o fim do ano. É como apresenta a conclusão do estudo “Global Luxury Goods Worldwide Market Study, Spring 2014 Update”, da Bain & Company.
 
O crescimento do primeiro trimestre deste ano é o mesmo que foi alcançado durante todo o ano de 2013, atingindo níveis de 4 a 6%, com números regionais que projetam para 2014 uma queda de até 6% na Rússia e um crescimento recorde de 11% no Japão. A desvalorização do câmbio na Rússia, Japão, Brasil e Indonésia está reduzindo ou alterando os padrões de consumo globais, com resultados fracos compensados pelas projeções otimistas na Europa Ocidental e crescimento forte projetado para os Estados Unidos. O mercado da Ásia-Pacífico está mais forte no Sudeste da Ásia, seguido de China e Coreia do Sul. A China, apesar de manter baixo crescimento de um dígito em termos reais, continua a ter uma base de clientes relevante que lidera o mundo em termos de consumo de luxo. 
 
“Com os bens de consumo de luxo, estamos vendo a necessidade de se criar um ‘novo normal’: o mercado global está amadurecendo, se estabilizando e consolidando”, disse Claudia D’Arpizio, sócia da Bain & Company em Milão.  “O mercado de luxo está se tornando mais resiliente em relação às crises econômicas, com mais poder de resposta à base de clientes mais exigente e conectada, e menos dependente de grandes crescimentos de mercado. Por todas essas razões, as marcas de luxo devem focar em como crescer organicamente”. 
 
Alguns destaques do estudo são:
 
– Europa: o turismo de compras de luxo deve continuar na Europa Ocidental. A Europa Oriental e a Rússia se apresentam em forte contração. O crescimento projetado para 2014 é de 2 a 4%. Rússia: a economia não está em seu melhor momento e a instabilidade política tem impactado negativamente no fluxo vindo de outros países. A projeção para 2014 é de perda de 4 a 6%.
 
– Américas: forte crescimento nos Estados Unidos, tanto entre consumidores locais como turistas. O Brasil está diminuindo o seu ritmo. Crescimento projetado para 2014 de 4 a 6%.
 
– Japão: crescimento projetado para 2014 de 9 a 11%. China: o diferencial de preços significante faz com que os consumidores comprem em outros países, o que torna os chineses os maiores consumidores globais. Crescimento projetado para 2014 de 2 a 4%. Ásia-Pacífico: crescimento projetado para 2014 de 3 a 5%.
 
– O crescimento projetado de outras regiões para 2014 é de 3 a 5%.