Diminui o desemprego entre executivos

0
2


A recente pesquisa “A Contratação, A Demissão e A Carreira dos Executivos Brasileiros” realizada pela Catho, site de vagas de empregos, junto a 31 mil profissionais, de Maio a Julho de 2005, aponta para um cenário de melhoria no mercado de trabalho para os executivos.

Os resultados indicam que o “caos” do mercado de trabalho atingiu seu apogeu em 2002: ano no qual o profissional especializado ficou, em média, 10,84 meses desempregado. Após 2002, observa-se uma sensível melhora neste quadro. Atualmente, o tempo médio de desemprego para um profissional especializado é de 6,92 meses, isto é, 36% menos do que em 2002.

A pesquisa aponta, ainda, um segundo fenômeno interessante. Em 2002 estabeleceu-se uma diferença significativa entre o tempo médio de desemprego de um profissional especializado (10,84 meses) versus o de um diretor (6,79 meses). Diferença que também tem caído. Em 2005, o tempo médio de desemprego de um profissional especializado passou a ser de 6,92 meses versus 5,44 meses de um diretor.

De acordo com Thomas A. Case, coordenador da pesquisa, o mercado de trabalho tem melhorado tão drasticamente devido ao chamado “Efeito Lula” antes e depois. “Antes de sua eleição houve medo e as contratações foram suspensas. Após assumir a presidência, Lula mostrou ser um presidente com um programa econômico racional e lógico que fez com que os empresários contratassem”, explica.