Diminuição em visitas ao ponto de venda

0
1
O consumo da classe C teve um crescimento de 5% em volume no 1º semestre de 2014 no preço médio, segundo pesquisa da Kantar Worldpanel. Reflexo do baixo crescimento registrado no país no ano passado, o Consumer Insight mostra que as incertezas e o aumento dos preços e da inflação preocupam quase metade dos brasileiros. 
 
Segundo o levantamento, todas as classes impulsionaram o consumo no primeiro semestre deste ano, porém, a frequência de compra foi reduzida, principalmente nas classes mais baixas, aumentando os itens comprados a cada ida ao ponto de venda, na busca de um maior equilíbrio para o bolso. Apesar de terem diminuído a ida ao ponto de venda em menos três vezes, a classe A/B, teve um aumento de 3% em volume e em itens adquiridos a cada viagem. Já a classe C reduziu em 6 vezes a ida ao PDV, mas também adquiriu +13% em itens por ocasião. As classes D/E chamaram atenção, pois registram crescimento de 6% em volume consumido e 20% de produtos adquiridos, mesmo diminuindo em 5 visitas  ao ponto de venda.
 
São Paulo e Grande RJ registraram um aumento no volume médio por ocasião de compra de 13% e 7%, respectivamente. Já as demais regiões começam a estabilizar o seu consumo. No Norte e Nordeste, os consumidores diminuíram 6 vezes sua ida ao ponto de venda, porém registraram +19% em volume médio comprado. O Sul registrou uma diminuição na frequência, mas +15% em itens comprados por ocasião e o Centro Oeste +6% de produtos comprados em cada ida ao supermercado.  Já o Interior e Leste do Rio de Janeiro deixaram de ir 9 vezes ao ponto de venda, porém consumiram +16% em volume médio.
 
De acordo com o estudo, o autosserviço e o atacarejo foram destaques no primeiro semestre. O atacarejo, com um tíquete médio de R$ 79,72 e uma variação de 24% em volume, passou a contribuir mais que o varejo tradicional, que registrou um tíquete médio de R$ 27,69 e uma variação de volume em 2%. A pesquisa ainda revela que a cesta de higiene e limpeza conseguiu manter a frequência nesse primeiro semestre, comparado com 2013. Já a cesta de alimentos acabou se beneficiando com +12% no volume médio comprado por ocasião.