Dispositivos móveis no e-commerce

0
0
Um em cada cinco visitantes do comércio eletrônico usa celulares e/ou tablets para os seus acessos, é que aponta a pesquisa da Conversion. Segundo o estudo, mais de 10% das vendas pela internet são efetuadas por esses equipamentos portáteis. Os dados ainda mostram um crescimento de mais de 200% no uso de celulares no comércio eletrônico no primeiro semestre de 2014, em comparação com o mesmo período do ano anterior. Em 2013, a participação desses aparelhos nas compras online foi de apenas 1,8%, ante os 3,5% registrados nos primeiros seis meses desse ano.
Embora numa taxa menor, o uso de tablets no e-commerce brasileiro também cresceu. Em 2013, a participação dos aparelhos nas vendas era de apenas 3%. Já em 2014, esse número saltou para 7%, um aumento de cerca de 102%. Por outro lado, o uso dos computadores tradicionais para compras virtuais caiu mais de 15% de um ano para outro. Em 2013, eram responsáveis por mais de 95% das transações pela internet. Porém, em 2014, a participação foi de 91%, uma queda de mais de 10%.
“O crescimento de celulares e tablets no comércio eletrônico reflete uma mudança de comportamento do usuário, que privilegia aparelhos portáteis na sua relação com a internet. Também demonstra o amadurecimento do consumidor no que diz respeito à confiança em compras online, além de observarmos as facilidades e o desenvolvimento tecnológico de plataformas e aplicativos no comércio eletrônico”, explica Diego Ivo, CEO da Conversion.
A pesquisa ainda aponta que as empresas que atuam com comércio eletrônico no Brasil devem atingir o patamar de 130 milhões de pedidos até o final do ano. A previsão é que as lojas virtuais totalizem cerca de 13 bilhões de visitas de consumidores em 2014. O ticket médio no País é de R$ 292,47 e taxa de conversão de 1,04%. Segundo outra pesquisa da Conversion, sobre canais de tráfego de sites brasileiros, no segmento de comércio eletrônico a busca orgânica lidera o ranking de gerador de receita, responsável por 34,6% das vendas das lojas virtuais. Em seguida estão os links patrocinados (23,5%) e o tráfego direto (20%). As redes sociais são responsáveis por apenas 2,6% do tráfego dos sites, enquanto o e-mail marketing fica com 6,3%.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDe volta à inadimplência?
Próximo artigoVerint comemora conquistas