DRM chega ao nível 2 do CMM

0
22


A fábrica de software da DRM Serviços de Consultoria chegou ao nível 2 do CMM-Capability Maturity Model, reconhecido modelo de qualidade de processos. A avaliação foi realizada pela Integrated System Diagnostics Brasil (ISD Brasil), empresa reconhecida pelo Software Engineering Institute (SEI), criador do CMM, e única no país habilitada a fazer avaliações segundo o modelo com profissionais brasileiros. A empresa também apoiou a DRM com treinamentos e consultoria especializada.

“Empresas de software como a DRM precisam de validações como a do CMM que garantam que seus processos estejam em níveis internacionais de aceite”, avalia Fernando Mellaci, diretor executivo da empresa.

A implantação do CMM da DRM teve início em 2003 e a avaliação foi concluída em agosto de 2005. Segundo Jacinto Godoy, diretor de marketing, além do surgimento de novas oportunidades de negócio, a empresa já percebe benefícios como maior visibilidade sobre o andamento dos projetos, maior nível de integração com clientes e parceiros – que seguem o mesmo caminho pela busca da qualidade – e inserção em novos mercados tais como o de Business Intelligence.

De acordo com o diretor executivo da ISD Brasil e primeiro brasileiro autorizado a conduzir avaliações de CMM e CMMI, Carlos Alberto Caram, um aspecto importante no caso da DRM foi o tempo utilizado para a consecução do nível 2. “Foram dois anos de trabalho, e isso deve ser enfatizado como um aspecto positivo. Maturidade se conquista com o tempo, e a DRM investiu, e continua investindo, para amadurecer seus processos de trabalho. Programas rápidos de melhoria de qualidade não geram os benefícios esperados para as empresas, nem para seus clientes. A DRM está de parabéns”, explica.