Economia continua? Tudo bem!

0
1

Uma das previsões feitas para 2017 é a de que talvez a economia não melhore tanto quanto esperado. De acordo com o desempenho do ano passado, a expectativa é que as condições passem a apresentar um resultado mais positivo a partir do segundo semestre. O que para alguns pode ser motivo de preocupações, para a SpoonRocket é uma oportunidade. Segundo o CEO, Roberto Gandolfo, o fato de o cliente ainda querer economizar favorecerá o serviço de delivery, uma vez que não haverá taxas de serviço e nem estacionamento. “Além de não ter taxas adicionais e ainda, contar taxa de entrega grátis no caso do SpoonRocket, o delivery passa a ser uma ótima opção para quem quer comer bem sem sair do orçamento”, diz.

Por outro lado, somente oferecer um serviço de entrega não basta e, para conseguir ter bons resultados neste ano, inovar fará parte dos principais planos da empresa. “Esse é um princípio que está no nosso DNA desde o lançamento”, comenta o executivo. “Sabemos que para entregar comida em apenas 35 minutos, precisamos ser disruptivos e, em 2017, continuaremos investindo todo o nosso capital e nosso esforço em construir soluções únicas no mercado.”

Um trabalho que será, realmente, necessário já que, assim como no ano passado, aqueles mais inovadores terão maior facilidade em conquistar o mercado. “A crise ainda seguirá por mais algum tempo no Brasil e num momento como esse o essencial não é simplesmente aumentar os preços para tentar conter a queda nas vendas de alguns setores”, afirma o CEO. Ele ainda ressalta que, na verdade, é o contrário que deve ser feito: é preciso agregar maios valor naquilo que já é cobrado. “No SpoonRocket, por exemplo, queremos promover ações em conjunto com os nossos parceiros, alinhar nossos objetivos e nos ajudarmos a alcançá-los. Em relação ao usuário final, queremos continuar entregando uma experiência única a eles.”

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSaraiva se une à Adyen
Próximo artigoVoxAge registra crescimento de 15%