Empresa: todos vendem

0
2


João Gonçalves Filho

Com a nova conceituação da empresa a partir de mercados globalizados, o grande desafio da gestão empresarial passou a ser como definir estratégias internas para que todos os seus colaboradores se engajassem no processo de vendas, não importando o seu nível ou função. Em suma: “saber vender independentemente da função exercida na empresa é essencial”.

A grande constatação, ao longo de décadas, a filosofia de venda estava restrita ao seu departamento de vendedores, sob a alegação de que somente os profissionais dessa área seriam capazes de exercerem, produtivamente, essa tarefa, levando-a para a lucratividade.

O conceito de que não se sabe vender é equivocado, atualmente, um erro de interpretação. Todos nós vendemos. Em nossas relações sociais sempre estamos vendendo idéias, objetivando, a todo custo, o convencimento e a sua aceitação. O que ocorre, na realidade, é que não nos damos conta dessa realidade palpável, justificado ser um hábito comum que se integrou ao nosso dia a dia.

Para o palestrante e renomado escritor Paulo Silveira, o processo de vendas, resumidamente, passa obrigatoriamente por alguns parâmetros bem definidos como conhecimento profundo do produto, do cliente, do mercado, descoberta do sinal de venda, da negociação, da argumentação, do fechamento da venda e do tão propalado e discutido pós-venda. Caso isto não ocorra, é preciso rever o plano e alterá-lo para que melhore a “performance”.

Para renomados consultores na área de vendas, o planejamento de vendas é algo imprescindível para o sucesso do profissional desta área, que passa por um contínuo aprendizado e capacitação num mundo que se caracteriza por mudanças bruscas no campo do conhecimento humano e, por conseqüência, no foco maior da venda, o consumidor.

A experiência pessoal oferece ao profissional de vendas uma rica prática diária sobre a própria atuação de vendas. Portanto, somos certamente capazes de empreender negociações e sobretudo fechar vendas. O grande questionamento verificado é que as pessoas não sabem transportar as suas habilidades para os procedimentos de vendas relacionados. Preferem acreditar na sua incapacidade neste campo e desistirem de obterem resultados positivos decorrentes do “fascinante mundo das vendas”, afirma o Profº Armando Correa de Siqueira Neto também consultor de gestão de pessoas. Enfim, as possibilidades estão sempre presentes em cada colaborador da empresa.

Para o palestrante e consultor de empresas, César Romão, “o grande desafio para a empresa nos dias atuais está no seu patrimônio humano, que passou a ser um grande diferencial dos negócios nesses tempos de globalização. O processo de gestão da empresa moderna não faz nascer grande, tão pouco oferece grandes coisas. Ele nos oferece pequenas coisas todos os dias, que se tivermos o bom senso de juntá-los, teremos em nossas mãos grandes coisas”.

Como reflexão final, todo mundo pode vender e se constitui numa condição humana e não extra-humana. Ser vendedor, portanto, é algo íntimo, faz parte da natureza humana, que sempre está se relacionando com outros e deles tenta obter uma determinada aceitação, daí, um dos excelentes conceitos de vendas: “vender é relacionar-se com pessoas e oferecer-lhes serviços “. Os colaboradores de cada empresa devem estar comprometidos em vender bem a sua própria imagem e da organização para a qual trabalham, além dos produtos ou serviços disponíveis.

João Gonçalves Filho (Bosco) é Administrador de Consórcios ([email protected])