O canal para quem respira cliente.

Empresários deram média de 3,2 para eficiência gerencial do Governo Federal

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin

Os empresários do LIDE – Grupo de Líderes Empresariais deram média de 3,2 para a eficiência gerencial do Governo Federal, numa nota de 1 a 5. A média caiu 25% em relação ao ano passado, quando a mesma pergunta foi feita em 24 de novembro e o índice alcançado foi de 4,1. A pesquisa foi realizada com 200 empresas durante almoço-debate no Hotel Grand Hyatt, em São Paulo, com o Ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, e os empresários do LIDE.

Outro item avaliado foi o fator que impede o crescimento da empresa. Para 50% dos empresários participantes, a maior causa apontada foi a carga tributária. O LIDE recentemente publicou nos principais jornais do país manifestação pública sobre o aumento da alíquota do Cofins. Inquirido sobre o assunto, o próprio ministro Furlan afirmou que “realmente a carga tributária nacional chegou no seu limite, já está extrapolando”. Segundo Furlan, o panorama econômico atual do país é muito melhor que no ano passado e espera-se assim que não haja novos aumentos da carga tributária.

A sondagem do LIDE detectou ainda que 38% dos empresários acreditam que a situação dos negócios de sua empresa está melhor em 2004 comparado a 2003, 5% acham que está muito melhor, 49% acham que está igual e 7% acreditam que piorou. Quanto à empregabilidade, 30% pretendem empregar mais esse ano, 59% devem manter o quadro de funcionários e 10% podem demitir. Nestes dois ítens, a avaliação dos empresários não foi pessimista.

Compuseram a mesa de debate Emilson Alonso, presidente do HSBC, Carlos Henrique Moreira, presidente da Claro, Hélio Novaes, vice-presidente da Sulamérica, Mário Fleck, presidente da Accenture, Hélio Magalhães, presidente da American Express, Fernando de Souza Meirelles, diretor-geral da FGV-EAESP, Carlos Ribeiro, presidente da Hewlett Packard, Marcel Fleishmann, presidente do Mc Donalds, Paulo Zottolo, presidente da Nivea e Marcos Magalhães, presidente da Philips. O mediador-coordenador da sessão foi o jornalista João Doria Jr, presidente da Doria Associados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima