Empresários estão menos confiantes

0
2
O Índice de Confiança do Empresário do Comércio, Icec, registrou queda de 2,3%, ao passar de 121,5 pontos em outubro para 118,7 pontos em novembro, em uma escala que varia de zero (pessimismo total) a 200 pontos (otimismo total). O indicador apresentou a diminuição depois de registrar três altas mensais consecutivas, segundo a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo, FecomercioSP.
 
Os três subíndices que compõem o Icec apresentaram queda em novembro. O índice que mede as Condições Atuais do Empresário do Comércio, ICAEC, registrou queda de 5,6%, ao passar de 92,8 em outubro para 87,5 pontos em novembro. Um dos fatores que ajudaram na baixa do subíndice foi a queda registrada na satisfação do empresário em relação à economia atual (Condições Atuais da Economia, CAE), que apresentou baixa de 10,5%, passando de 80 pontos em outubro para 71,6 pontos em novembro.
 
Já o subíndice focado na expectativa do empresário do comércio, IEEC, apontou declínio de 1,5%, passando de 157,8 em outubro para 155,4 em novembro. A diminuição do otimismo do empresário se justifica pela queda nas expectativas em relação à economia (Expectativa da Economia Brasileira, EEB), com baixa de 1,7%, e pela percepção em relação à própria empresa (Expectativa das Empresas Comerciais, EEC), que também registrou queda de 1,7%.
 
O subíndice que mede a intenção de investimento do empresário do comércio, IIEC, se manteve praticamente estável, registrando queda de 0,7%, ao passar de 113,9 pontos em outubro para 113,1 pontos em novembro. A maior influência negativa foi o quesito que mede a intenção dos empresários de contratar mais funcionários (Contratação de Funcionários, IC), que contabilizou queda de 2,3%, ao passar de 140,7 pontos em outubro para 137,5 pontos em novembro. O quesito responsável por manter o subíndice estável foi o que avalia novos investimentos (Nível de Investimentos da Empresa, NIE), e mostrou alta de 2,7%, ao passar de 106 pontos em outubro para 108,9 pontos em novembro.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorClasse C eleva consumo no Brasil
Próximo artigoConsumidor em dívida