Futuro ultraconectado

0
1
O uso da tecnologia ultraconectada e fragmentada deixa os consumidores expostos às dúvidas, frustrações sobre a administração de múltiplos dispositivos e riscos à privacidade, de acordo com a nova pesquisa da AVG Technologies. A conclusão foi obtida a partir de questionários respondidos por cinco mil internautas de oito países: Estados Unidos, Reino Unido, Brasil, Canadá, Austrália, França, Alemanha e República Checa. Em um momento em que crescem as histórias sobre empresas e governos utilizando a internet para coletar dados, 46% dos entrevistados admitiram estar cada vez mais preocupados com a proteção de seus dados e a possibilidade de que companhias usem estas informações indevidamente. 
“A pesquisa mostra que 72% das pessoas esperam que a tecnologia será ainda mais útil nos próximos cinco anos e o Brasil é ainda mais otimista, com 93% dos entrevistados acreditando nisto. Porém, as preocupações continuam a rondar: 69% acreditam que esse avanço causará ainda mais intrusão. Certamente, há uma dúvida sobre por quanto tempo os consumidores permitirão que a rede interfira em sua privacidade e segurança”, afirma Judith Bitterli, vice-presidente de marketing da AVG.
 
Quase 90% dos participantes da pesquisa declararam que não se sentem à vontade quando precisam fornecer informações pessoais em troca de um serviço. Além disso, 79% já cancelaram o download de um aplicativo ou software pelo fato de requisitarem acesso às informações, indicando um forte desconforto com a quantidade de dados pessoais que estão sendo solicitados constantemente.
Com a preocupação quanto à privacidade, a expansão da conectividade tem causado dores de cabeça aos usuários. A maior parte dos entrevistados (59%) confessou usar mais de três dispositivos móveis pessoais e múltiplos sistemas operacionais, enquanto apenas 44% tomaram providências para facilitar o gerenciamento destes aparelhos, causando duplicação de dados e problemas técnicos no intercâmbio de dados entre os dispositivos. No caso do Brasil, o mais comum é o uso de dois dispositivos móveis (34%), mas, ainda sim, 25% usam três aparelhos diferentes.
Quanto ao uso das mídias sociais, 14% das pessoas (e 16% dos brasileiros) não conhecem as configurações de privacidade das principais redes e muitos que tem esse conhecimento (21%) sabem que podem aperfeiçoar o controle de sua privacidade, mas utilizam apenas as configurações básicas das mídias sociais, dispensando ferramentas avançadas disponíveis.
“Este estudo destaca o grande esforço dos consumidores para lidar com seus dispositivos. É um momento em que a simplificação e informações são muito importantes. A AVG está comprometida a contribuir para aperfeiçoar a experiência online dos clientes, oferecendo proteção efetiva de sua identidade virtual. Na sociedade em que vivemos, confiança e privacidade estão intimamente ligadas e a indústria da tecnologia precisa ter o cuidado de ser o mais transparente possível, ou colocará em risco a confiança de seus clientes em seus produtos e serviços”, explica Judith.