Hora de escoar as vendas

0
3
No final do ano passado, havia a expectativa de que em 2016 a economia estaria melhor – ainda que pouco. Entretanto, o que se viu foi um começo conturbado, com resultados não tão satisfatórios, clientes ainda temerosos em gastar, baixa procura pelo crédito e aumento do desemprego. Segundo Fernando Tassinari, diretor geral da Criteo no Brasil, por conta desse cenário financeiro, as compras foram represadas pela maioria dos consumidores. Com isso, o público aumenta sua expectativa para a chegada de datas especiais do comércio, como a Black Friday, para realizar as compras desejadas. “A gente sente, inclusive, que há um represamento maior de compras, principalmente perto da Black Friday, para que o consumo seja feito tirando proveito das grandes promoções dos varejistas”, diz. E essa situação de contenção, que será escoada no evento é um dos grandes motivos para a expectativa de que ele tenha números melhores do que as outras edições.
Mas, não é somente a crise que fará a Black Friday maior neste ano, a data em si vem crescendo a cada ano. Tassinari adiciona que os próprios varejistas aumentaram sua consciência sobre a importância que ela possui para o mercado e vêm procurando tirar o máximo proveito disso. “A gente sabe que, no início, te toda aquela brincadeira que não existiam promoções reais. Só que grandes varejistas entenderam que a data é super importante e realmente estão colocando promoções válidas”, afirma. “Sabemos disso, porque estamos acompanhando o movimento das empresas durante o período pré, durante e pós Black Friday. Então, a cada ano, ela está tomando um tamanho maior e as promoções estão se tornando gigantes.”
  
Para lidar com esse gigantismo todo e conseguir também ter bom proveito junto com todas as outras lojas participantes, o executivo aconselha que o principal é manter o que foi prometido ao cliente. Junto a todos os investimentos de estrutura e estratégia para as ações, é essencial entregar a mesma experiência de qualquer outro dia. E como resultado desse bom resultado será o aumento da captação de clientes, a capacidade de continuar esse bom desempenho para o resto do ano e o aumento na satisfação do público. “Tudo isso feito, a empresa tem que fazer todo um trabalho de fidelização, essa é a palavra para o ano que vem”, acredita ele. “Fazer com que o cliente baixe o aplicativo, enviar ofertas exclusivas para ele, ser personalizado é o grande segredo a partir de agora.”
De fato, o mobile será um dos diferenciais da Black Friday 2016, o smartphone deixou de ser uma novidade para ser uma ferramenta importante de captação, contato e fidelização. “Os varejistas que têm uma boa estratégia móvel estão muitos passos a frente daquele que não tem”, pontua Tassinari.