Ibmec apresenta conceitos sobre e-commerce

0
2

A internet como ferramenta de revolução dos negócios e a importância desse fenômeno para a sociedade são temas abordados por Amyris Fernandez – professora de marketing avançado e e-business do Ibmec Business School. Baseada em sua experiência acadêmica e corporativa, Amyris propõe discussão humanista sobre os rumos da revolução digital. No início dos anos 90, o comércio eletrônico surgiu como nova forma de conduzir os negócios com a possibilidade de alterar radicalmente todos os setores da economia. Porém, essas mudanças implicaram alterações nas relações sociais não muito nítidas, “A sociedade ainda está cega em relação a essas mudanças, que acontecem diariamente. Elas são silenciosas e, ao mesmo tempo, contundentes”, afirma a professora.

Amyris Fernandez aborda aspectos relevantes do e-commerce e do e-business, além de apresentar números expressivos sobre o setor. Em 1999, 300 empresas de TI tornaram-se públicas. No final do mesmo ano, 400 empresas pontocom já tinham ações negociadas na Nasdaq, com valor de mercado de US$ 1,3 trilhão, volume equivalente a 8% do mercado americano de ações. A despeito disso, menos de 25% das pontocom geravam lucros. Amyris afirma que no início de 2000, os investidores começaram a exigir resultados positivos, ao mesmo tempo em que as promessas revelaram-se falsas. “O número de empresas pontocom que faliram foi assustador. Um total de 895 empresas de internet fecharam as portas ou declararam falência de 2000 até agora”, informa.

A professora destaca porém que alguns setores passaram por revoluções dado o advento da internet. Entre eles o automotivo, o financeiro, a área de propaganda e a indústria de mídia & entretenimento. No setor automotivo, os números são crescentes: 60% dos compradores de carros novos realizam procura na internet, chegando a visitar até sete sites antes de ir à revenda. “O Brasil é o campo de testes para atividades pioneiras das montadoras, com projetos bem sucedidos”, afirma Amyris.

Outra grande mudança foi verificada no setor bancário. Segundo Amyris, houve crescimento dramático do número de transações bancárias após a internet. Hoje, são 49 milhões de usuários de serviços bancários na Europa. Há dois anos, eram 26 milhões. Em 2005, serão 75 milhões de europeus fazendo esse tipo de transação, já nos Estados Unidos, serão 21,1 milhões de usuários até o final de 2002, ante os 17,2 milhões registrados em 2001. Na América Latina espera-se crescimento do comércio eletrônico da ordem de 73%, chegando a um total de US$ 2,6 bilhões em 2003.

A conclusão de várias pesquisas e estudos aponta para o crescimento contínuo do e-business. Por isso, segundo Amyris, a atividade é fundamental e deve estar focada no longo prazo, como um direcionamento estratégico. “Não se trata de uma atividade tática, de curto prazo, apenas para atender as demandas dos clientes”, diz. A maior parte das estratégias das empresas no setor, no entanto, concentram-se apenas na redução de custos e aumento da eficiência na execução de tarefas. (www.ibmec.com.br)