IFS traz para o Brasil área de consultoria

0
4


A IFS do Brasil, desenvolvedora de software para gestão empresarial, agora está com uma nova área de serviços. O objetivo é maximizar dos sistemas de ERP. Intitulada Consultoria de Negócios, o alvo é oferecer ao mercado uma solução estruturada para tornar mais eficiente os mecanismos de tomada de decisão e melhoria de processos a partir do uso do ERP implantado, seja da IFS ou outro software de gestão.

Com base em projetos realizados em mais de 46 países, a Consultoria de Negócios IFS traz um serviço de avaliação e diagnóstico do status em relação ao processo de gestão e controle, oferecendo alternativas para aumentar a eficácia do sistema. Para isso, a equipe utiliza técnicas que possibilitam os usuários a formular sua estratégia e desenvolver todo o processo de acompanhamento dos objetivos estabelecidos.

Essa formulação dos aspectos críticos do negócio, bem como os respectivos índices de performance e a implantação do modelo de aferição, são elaborados a partir do uso de técnicas baseadas no BSC (Balanced Scorecard) e BI (Business Intelligence), por exemplo. Outro enfoque desse novo serviço é a reavaliação ou implantação de processos de informação e controle, tais como orçamentos, fluxo de caixa, relatórios contábeis e gerenciais.

“Apenas implantar um sistema de ERP não significa que a empresa passará a ter um ótimo desempenho. O mercado normalmente subutiliza seus sistemas e, para atender essa demanda, a IFS quer trazer para o Brasil sua expertise em extrair o máximo das soluções de gestão a partir de técnicas implantadas em projetos realizados em mais de 46 países”, comenta Lávio Falcão, presidente da IFS do Brasil.

O executivo comenta que um fato muito comum no mercado é a implantação de soluções sem a visão dos processos e sem envolver as pessoas certas, o que conseqüentemente leva ao uso ineficiente do sistema de TI, que passa a gerar inúmeros dados em tempo inadequado para suportar a tomada de decisão. “O resultado disso é o alto investimento, geração de muitos dados com poucas informações, além do controle de gestão deficiente e muita interferência humana, gerando riscos desnecessários para as organizações”, resume Falcão.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorGVT cria empresa para VoIP
Próximo artigoDedic homenageia colaboradores