Impactos econômicos de governos inovadores

0
10


Florencia Ferrer, doutora em Sociologia Econômica pela USP e especialista em Governo Eletrônico, juntamente com os colaboradores Cristian Lima, Claudia Vilela, Galileu Vieira, Bete Costa e Salete Iunes deram conta de um desafio: mostrar que os esforços que boa parte dos gestores públicos vêm fazendo ao implementar programas de governo eletrônico está provocando uma enorme economia para os cofres públicos. Por meio do livro “Gestão pública eficiente: impactos econômicos de governos inovadores”, publicado pela Campus/Elsevier, cases de sucesso do Estado de São Paulo foram descritos. Este é o primeiro livro da série “Governar bem traz resultados”.

“No livro fica claro que o Estado está passando por uma profunda transformação em sua gestão, mas não podemos confundi-lo com a gestão de uma empresa privada, já que sua finalidade não é, e nem deve ser, gerar lucros, mas, sim, benefícios para a sociedade”, explica Bete Costa. Com este pensamento, o livro demonstra por meio dos estudos nele contidos que as inovações estão provocando ganhos econômicos para o governo e para a sociedade civil.

Por meio de uma metodologia sobre análise de retorno sobre investimento para o setor público, fica claro que para cada projeto implantado, a sociedade ganha não somente com melhores serviços, mas também há um impacto econômico destas melhorias. “A redução de tempo em filas, de cópias de documentos e deslocamentos necessários, são exemplos da redução dos custos sociais, já que a sociedade e a economia como um todo perdem com estes desperdícios que diminuem a produtividade do país”, afirma Bete Costa. Esta metodologia chama-se BINPS (Benefícios sobre Investimentos Públicos) e foi desenvolvida por Florencia Ferrer.

Um dos assuntos abordados no livro é a questão das compras eletrônicas. Desde que o sistema foi implantado houve uma economia para o Estado e a Sociedade civil de cerca de R$ 447 milhões. Além disso, um número maior de pequenas empresas passou a participar das compras do Estado, aumentando a concorrência, o que ajuda ainda mais a reduzir os preços finais negociados. Este modelo torna o processo ágil, eficaz, transparente, além de menos custoso. O desfecho de toda a mudança é que com somente 11 programas de inovação, o governo o Estado de São Paulo economizou cerca de R$ 14,8 bilhões de reais desde a implementação dos primeiros programas de governo eletrônico.

Estes resultados demonstram que é possível ter uma gestão eficiente e transparente, onde o governo eletrônico é uma condição dos governos contemporâneos, não mais uma opção. Quem sai ganhando? Segundo Florencia Ferrer, “o cidadão, os gestores, o país como um todo, já que governando bem são criadas condições estruturais de crescimento sustentável, melhorando a vida de todos e avançando cada vez mais na construção de um país melhor e mais justo”.

Ficha Técnica
Título: Gestão pública eficiente
Autores: Florência Ferrer, Cristian Lima, Claudia Vilela, Galileu Vieira, Bete Costa e Salete Nunes
Editora: Campus/Elsevier
Páginas: 208
Preço: R$ 55,00