Inadimplência cai 2,8% em julho

0
14


Em julho o índice de inadimplência com cheques no Brasil foi de 2,69% e apresentou queda de 2,8% em relação ao mês de junho (2,77%), revela pesquisa mensal da Telecheque. Já na comparação com o indicador do mesmo período do ano passado (2,12%) houve alta de 27%.

“A queda da inadimplência em relação ao mês anterior só não é mais animadora porque não podemos deixar de levar em conta o aumento substancial do índice de devolvidos na comparação com o mesmo período do ano passado. No entanto, essa elevação já vinha sendo sinalizada em decorrência da forte expansão das modalidades de concessão de crédito, assim como do longo período de alta dos juros”, afirma José Antônio Praxedes Neto, vice-presidente da Telecheque.

Segundo o levantamento, do total de transações com cheques 96,62% foram honradas, percentual superior apenas 0,1% ao do mês anterior (96,51%) e inferior 0,7% em relação a julho de 2004 (97,31%). As transações para pagamento à vista e pré-datado representaram 30,5% e 69,5% do total, respectivamente, sendo que os parcelamentos para 30 e 60 dias corresponderam a 84,44% das transações.

Ainda conforme o estudo da Telecheque, o valor médio dos cheques transacionados foi de R$ 123,70, o que significou crescimento de 9,9% frente à média registrada em julho de 2004. O índice de cheques roubados foi de 0,69%, menor 4,5% em relação ao mês anterior (0,72%) e maior 20,2% comparado ao índice do mesmo período do ano passado (0,57%).

Bons e maus pagadores – Santa Cantarina e Maranhão lideraram o ranking de estados com os maiores indicadores de cheques honrados, com índice de transações pagas de 97,72%, seguidos de Goiás (97,58%) e Rio Grande do Sul (97,54%).

No Estado catarinense o índice de inadimplência foi de 1,65%, inferior 21,5% em relação ao mês anterior (2,10%) e superior 22% no comparativo com mesmo período do ano passado (1,35%). No Maranhão o índice de cheques devolvidos foi de 1,94%, queda de 20,1% em relação a junho (2,43%) e de 32,5% comparado ao do mesmo período de 2004 (2,88%). Em Goiás o índice de inadimplência foi de 1,94%, menor 4,9% do que o registrado em junho (2,04%) e maior 16,5% frente ao de julho de 2004 (1,66%). No Rio Grande do Sul foi constatado índice de cheques devolvidos de 1,96%, com queda de 4,5% comparado ao do mês anterior (2,06%) e alta de 24% na comparação com mesmo período do ano passado (1,58%).

Entre os estados com maiores índices de inadimplência desacaram-se Amazonas, Mato Grosso e Rio Grande do Norte. O Amazonas registrou o maior indicador de cheques devolvidos (4,24%), com aumento de 14,7% frente ao do mês anterior (3,69%) e de 62,2% em relação a julho de 2004 (2,61%). Já o Mato Grosso apresentou índice de inadimplência de 4,19%, inferior 13,1% comparado ao de junho (4,82%). No Rio Grande do Norte o indicador de 4,11% representou queda de 29,5% em relação ao do mês anterior (5,83%) e de 6,5% comparado ao do mesmo período do ano passado (4,40%).