Inadimplência das empresas diminui

0
1


O Indicador Serasa de Inadimplência Pessoa Jurídica apontou queda de 6,8% na inadimplência das empresas, em setembro de 2006, quando comparada a agosto deste ano. O recuo registrado em setembro foi o segundo consecutivo, já que em agosto, a inadimplência das pessoas jurídicas caiu 6,7% frente a julho de 2006.

Em relação a setembro de 2005, a inadimplência das empresas permaneceu praticamente estável, com um ligeiro decréscimo de 0,7%. No acumulado dos nove primeiros meses deste ano, no entanto, o indicador registrou alta de 9,3% na inadimplência das pessoas jurídicas, na comparação com o mesmo período do ano passado.

De acordo com o indicador, os títulos protestados tiveram a maior participação na inadimplência das empresas, em setembro de 2006, com um peso de 40,1%. No entanto, essa participação caiu em relação a setembro do ano passado, mês em que o peso dos protestos na inadimplência das pessoas jurídicas foi de 40,9%. Já as dívidas com os bancos registraram o menor peso na inadimplência das pessoas jurídicas, 20,3% em setembro de 2006, superior à participação de setembro de 2005, que foi de 20,0%.

Argumentação – Segundo a avaliação dos técnicos da Serasa, o aquecimento sazonal da atividade econômica, no segundo semestre, e a melhora no poder de compra do consumidor contribuíram para a segunda queda consecutiva do Indicador Serasa de Inadimplência Pessoa Jurídica, na comparação com o mês anterior.

Por outro lado, os técnicos acreditam que o crescimento do indicador, na comparação entre 2006 e 2005, reflete o impacto negativo do crédito mal concedido, tanto para as pessoas físicas quanto para as pessoas jurídicas, do elevado custo financeiro e da queda da rentabilidade das empresas exportadoras – em especial as pequenas e médias – no cumprimento do fluxo de caixa. Para eles, as elevadas taxas de juros também frearam a evolução do crédito para as empresas.