Inadimplentes têm recursos para negociar

0
0


A maior parte dos consumidores que está inadimplente junto às financeiras possui renda mensal entre R$ 600,00 e R$ 1.500,00. Vinte e cinco por cento deles tem carteira assinada, 19% trabalham como autônomos e 14% são aposentados. Portanto, 58% dos inadimplentes teriam recursos para negociar sua dívida. Apenas 13% dos inadimplentes estão sem renda ou desempregados.

Esse é um dos resultados apontados pela pesquisa encomendada pela Acrefi – Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento e realizada pela Serasa entre 752 consumidores que tomaram recursos de instituições financeiras associadas à Acrefi. O levantamento foi feito em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador e Porto Alegre, no período de 10 a 22 de dezembro de 2005.

“Os resultados da pesquisa quebram o mito de que a maioria dos inadimplentes está desempregada. Muitos deles ainda têm linhas de crédito disponíveis no mercado, mas não as usam para quitar débitos”, afirma Adalberto Savioli, diretor da Acrefi, que alerta para a possibilidade das campanhas de cobrança estarem poucas efetivas.

O estudo mostra também que a inadimplência cresce nas faixas de renda de até cinco salários mínimos e é maior em Belo Horizonte (43,1%, quando se trata de consumidores com renda de até dois salários mínimos e 33.9% nas faixas de 2 a 5 mínimos) e Salvador (48,5%, para a faixa de até 2 salários mínimos e 25,6% quando se trata de 2 a 5 salários mínimos).