Instituto Akatu divulga pesquisa Descobrindo o Consumidor Consciente

0
1

O consumidor consciente busca o equilíbrio entre sua satisfação pessoal e o impacto do seu consumo na preservação do meio ambiente e no bem-estar social. Com a pesquisa “Descobrindo o consumidor consciente: Uma nova visão da realidade brasileira”, o objetivo do Instituto Akatu é encontrar no mercado brasileiro formas de identificar e caracterizar o consumidor conforme seu grau de adesão ao consumo consciente.

Para aferir o grau de consciência do consumidor brasileiro, a segmentação clássica por critérios sócio-econômicos e demográficos não se demonstrou eficaz. A mesma coisa aconteceu quando foram adotados como critérios de segmentação os valores e crenças das pessoas. Somente foi possível segmentar os grupos segundo o grau de adesão aos comportamentos que pressupõem a consciência no ato de consumo de produtos, recursos naturais ou serviços.

Assim, listaram-se treze comportamentos, que foram incluídos na pesquisa, dentre os quais: fechar a torneira enquanto escova os dentes, apagar as luzes ao deixar um recinto, separar lixo para reciclagem, pedir nota fiscal, ler o rótulo de um produto antes de comprá-lo. Portanto, foi possível descobrir essa nova segmentação do mercado – segundo o grau de consciência de consumo – de acordo com o que as pessoas realmente fazem. Desta forma foram definidos quatro grupos de consumidores: Conscientes 6%, os que adotam de 11 a 13 dos comportamentos listados; Comprometidos 37%, os que adotam de 8 a 10 comportamentos; Iniciantes 54%, os que adotam de 3 a 7 comportamentos; Indiferentes 3%, os que adotam de 0 a 2 comportamentos.

Percebeu-se que no grupo dos consumidores conscientes predominam pessoas de mais alta renda (classes A e B), maior escolaridade e maior maturidade. Todavia, a consciência não é exclusividade dos mais abastados, já que os consumidores conscientes também estão, ainda que em proporção menor, nas outras classes sociais.
Analisando-se todos os dados da pesquisa, percebe-se que os consumidores conscientes são os mais preocupados com a coletividade e sentem-se responsáveis pela melhoria da comunidade em que vivem.
Estes são consumidores ativos, porque punem as empresas que adotam atitudes com as quais não concordam e recorrem aos órgãos de defesa do consumidor quando se sentem prejudicados. Além da própria segmentação dos consumidores em grupos, um dos principais achados da pesquisa foi a identificação dos valores e comportamentos que possivelmente representam tendências “em gestação” no grupo dos mais conscientes e que, presume-se, serão em breve assimiladas pelos demais consumidores.

A identificação de grupos também permitirá às instituições, como ONGs, direcionar de forma mais eficaz seus esforços de sensibilização e mobilização para suas causas. Permitirá ainda que empresas compreendam melhor as expectativas deste público e direcionem assim suas políticas de comunicação e responsabilidade social, bem como seus processos comerciais e produtivos. A pesquisa foi realizada entre 10 e 29 de novembro de 2003, pelo Instituto Akatu pelo Consumo Consciente em parceria com a Indicator GfK, patrocinada pela Faber-Castell e GE-Dako, com apoio da Fundação Avina e da Ford Foundation.

A segmentação inédita do mercado, segundo o grau de adesão ao consumo consciente, será explorada com mais detalhes na próxima etapa do projeto indicadores do consumo consciente, com o estudo específico do comportamento do grupo de consumidores conscientes. O Projeto Indicadores visa reunir dados sobre a postura do consumidor brasileiro de acordo com sua consciência, bem como detectar o grau de responsabilidade social das empresas brasileiras, de acordo com os critérios do consumo consciente.

A partir destes dados, o Instituto Akatu disponibilizará na Internet, testes para que o internauta possa medir seu grau de consciência como consumidor, bem como informações a respeito das ações de responsabilidade social empresarial no Brasil.