Intenção de consumo das famílias recua

0
6
O baixo crescimento do atual cenário socioeconômico, e a persistência alta da inflação foram os principais motivos que resultaram no pior nível histórico do Índice de Intenção de Consumo das Famílias, ICF, na cidade de São Paulo, chegando ao patamar de 113,6 pontos. Os números são da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo, FecomercioSP, que também apontou um recuo de 5,1% em maio, em relação ao mês anterior. Se comparado com o mesmo período de 2013, a queda foi ainda maior, de 11,4%.
São sete segmentos que formam o índice e todos eles possuíram retração de abril para maio, com destaque para o item perspectiva profissional, que teve a maior queda, com variação negativa de 9,6%. O item bens duráveis veio em segundo lugar, seguido por perspectiva de consumo, com recuos de 9,3% e 6,5%, respectivamente. Esses números mostram, segundo a Federação, que o cenário é de maior cuidado dos consumidores em relação aos gastos.
De acordo com a Entidade, por mais que o aumento da Selic pelo Banco Central seja um mecanismo para conter a inflação, tal medida faz com que os juros ao consumidor continuem crescendo, o que encarece a aquisição de crédito e financiamento. Nesse sentido, os itens renda atual e acesso ao crédito sofrem diretamente o impacto. O primeiro apresentou recuo de 3,4%, chegando aos 129,9 pontos, quarta queda consecutiva. Já o segundo chegou aos 132,5 pontos, com retração de 0,9%.
O segmento nível de consumo atual teve uma variação negativa de 5,9%, atingindo 86,4 pontos, o menor patamar histórico. Com média abaixo dos cem pontos desde fevereiro, ele mostra claramente que as famílias estão gastando menos com relação ao mesmo período do ano anterior. Por enquanto, os economistas da Federação não aprontam sinais de reversão do cenário. O resultado do Dia das Mães, recuo de 2,4% nas vendas, refletiu, para os comerciantes, uma menor demanda na indústria e na contratação para o resto do ano, reduzindo ainda mais o ritmo da economia.
O ICF é medido mensalmente pela FecomercioSP desde agosto de 2009, com dados de 2,2 mil consumidores no município de São Paulo. O ICF é composto por sete itens: Emprego atual; Perspectiva profissional; Renda atual; Acesso ao crédito; Nível de consumo atual; Perspectiva de consumo; e Momento para duráveis. O índice vai de zero a 200 pontos, no qual abaixo de 100 pontos é considerado insatisfatório e acima de 100 pontos é denotado como satisfatório. O objetivo da pesquisa é ser um indicador antecedente de vendas do comércio, tornando possível, a partir do ponto de vista dos consumidores e não por uso de modelos econométricos.