Interação on-line

0
4



Com a criação dos blogs, portais wikis e Twitter, que deram força e impulso ao movimento Web 2.0, ficou mais fácil para o consumidor decidir uma compra, embora alguns utilizem as comunidades virtuais para criticar marcas ou ainda caluniar empresas. “Por isso, as comunidades são fonte de informação, e quem ignora ou deixa passar estas críticas sem respostas perde uma oportunidade importante. “Alguns podem ver isso como algo negativo, mas achamos que temos muita a ganhar com a transparência e o diálogo constante”, afirma Márion Strecker, diretora de conteúdo do portal Uol.

 

A área de inteligência de mercado do Uol monitora as manifestações espontâneas sobre a marca, empresa ou serviço. E, ao lançar um novo serviço, pede feedbacks para o público, que, posteriormente, ficam publicados. “Se a tecnologia for usada de forma inteligente, sem criar dificuldades de uso por parte do público, não vemos desvantagem com relação à fidelização, mas sim, um crescimento de confiança e credibilidade dos clientes”, conclui.

 

Desde a fundação, em 1996, o Uol aposta na globalização digital. Além da participação no Orkut e YouTube, a empresa se comunica diretamente com o público por e-mail, salas de bate-papo, murais, grupos de discussão e blogs. Inclusive no Shopping Uol, o público poder dar notas aos produtos e publicar a própria crítica.