Ipiranga integra base de dados

0
2

Operando uma diversidade de programas e aplicativos, bancos de dados, planilhas pessoais e interfaces customizadas de extração, cerca 500 usuários do sistema de informática da Petróleo Ipiranga, geravam um volume de cerca de 31 milhões de registros de entrada processados diariamente, atingindo picos de até 50 milhões em períodos críticos do mês. Decidida a implementar uma solução de Business Intelligence para oferecer à direção e gerência da companhia informações estratégicas para a tomada de decisão, a distribuidora de derivados de petróleo, necessitava, antes, padronizar este universo de informações gerando uma única fonte de dados e eliminando uma infinidade de bases paralelas. A solução foi implementar a ferramenta PowerCenter, da Informatica, para dar conta da tarefa de unificação da base e criação de um datawarehouse.
A adoção do software, considerado padrão da indústria para integração de dados corporativos, permitiu a transformação do volume de registros diários, reduzindo-os para 14 milhões. “A vantagem é que tivemos uma redução do esforço necessário para extrair e conciliar as informações, centralizando em um único processo”, explica Ana Lúcia Carvalho, assessora de sistemas gerenciais da divisão de Informática da Ipiranga.
Segundo Ana Lúcia as informações têm que estar disponíveis, diariamente, às 8 horas da manhã, para toda a companhia. “O processamento é noturno e inclui um grande volume de dados referentes aos processos contábeis, de vendas, contas a receber, além do movimento diário de uma rede de 630 franqueados. Para se ter uma idéia, apenas a carga de dados das franquias levava cerca de 10 horas processando e agora, depois que migramos para o PowerCenter, fazemos este trabalho em até 2 horas e 30 minutos”. Segundo a assessora, a alta performance do sistema da Informatica permite a realização deste trabalho, incluindo análise, programação e suporte técnico, com uma equipe reduzida de apenas cinco desenvolvedores.
Na etapa de implantação foi criado um repositório de metadados (informações necessárias para entender, acessar e analisar o datawarehouse) que envolveu dados, processos e regras de negócios, otimizando assim a conceituação única de indicadores e dimensões. Essas ações facilitaram o conhecimento e a divulgação dos dados com maior segurança, assim como possibilitaram acabar com a redundância das informações por pequenas diferenças de conceito.
Fontes diferentes de informação como banco de dados Oracle, planilhas (MS Excell), textos (MS Word) e arquivos em formato TXT, entre outras, foram trazidas para uma estrutura de dados padronizada para facilitar a leitura e gerar uma fonte única de informações, eliminando a proliferação de arquivos avulsos, bancos de dados pessoais e diversas interfaces de extração. A consistência e a análise de informações, a unificação de códigos, a padronização de mapas e a disponibilização de documentação na web são os principais benefícios alcançados pela Ipiranga com o uso da nova ferramenta.
Para alcançar estes elevados níveis de performance, a ferramenta PowerCenter faz um uso extremamente otimizado e agressivo dos processadores e dos recursos de memória disponíveis no servidor de integração de dados da empresa usuária. Desta forma, quanto maior for o poder de processamento das CPUs do sistema, mais rápidas serão as transformações e a integração das informações. O desempenho está apoiado em características tecnológicas avançadas e funcionalidades como, por exemplo, Paralelismo Real Inteligente (Data Smart Paralelism) e Sessões Multi-Camadas (Multithreaded Sessions).

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorTMS investe em capacitação
Próximo artigoCamara-e.net adota Skype