Janeiro registra crescimento da inadimplência

0
2


O índice de cheques sem fundos em janeiro, de 2,18%, cresceu 18,47% em relação ao mesmo mês de 2005 (1,84%), revela pesquisa da Telecheque, especializada na concessão de crédito para o varejo. Comparado ao de dezembro de 2005 (2,13%) a alta foi menor, de 2,62%.

O aumento da Selic, praticado de setembro de 2004 a agosto de 2005, resultou no crescimento dos prazos e dos juros pelo varejo, isto refletiu na elevação dos índices de inadimplência. “Este comportamento foi necessário para a manutenção dos níveis de consumo, já que o consumidor brasileiro tem a característica de observar se o ´valor´ da parcela se adequa a seu orçamento, independente das taxas de juros praticadas”, afirma José Antonio Praxedes, vice-presidente da Telecheque.

Os pagamentos com cheque à vista no período representaram 32,37% do total, e foram maiores 9,33% ante a dezembro de 2005 (29,61%) e menores 6,45% frente ao mesmo período do ano passado (34,60%). Já as transações pré-datadas corresponderam a 67,63% do total, com queda de 3,93% ante ao mês anterior (70,39%) e alta de 3,41% em relação a janeiro de 2005 (65,40%). Os cheques transacionados no varejo em janeiro tiveram valor médio de R$ 125,20, superior 9,41% e 10,16%, respectivamente, na comparação com dezembro (R$ 114,43) e janeiro de 2005 (R$ 113,65).

O Estado do Rio Grande do Norte despontou como melhor pagador em janeiro, com índice de cheques honrados de 99,05%. O indicador foi maior 1,12% em relação ao de dezembro (97,95%) e 2,09% comparado ao do mesmo período do ano passado (97,02%). Em segundo apareceu o Estado de Alagoas, com indicador de transações pagas de 98,45%, seguido de Santa Catarina com índice de 97,85%. Em Alagoas o índice de cheques pagos foi maior 0,62% frente ao do mês anterior (97,84%) e 0,66% frente a janeiro de 2005 (97,81%). Em Santa Catarina, o indicador de cheques honrados, de 97,85%, caiu 0,70% em relação a janeiro do ano passado (98,54%) e 0,17% na comparação com dezembro (98,01%).

Os Estados do Mato Grosso, Espírito Santo e Amazonas foram os que apresentaram os maiores indicadores de cheques sem fundos em janeiro. No Mato Grosso o índice de cheques sem fundos ficou em 5,51%, com aumento de 72,06% ante a janeiro do ano passado (3,20%) e de 10,49% ante ao mês anterior (4,99%). No Espírito Santo o indicador de inadimplência, de 3,19%, foi superior 73,82% em relação ao mesmo período do ano passado (1,83%) e 31,38% frente a dezembro (2,43%). No Amazonas foi registrado índice de cheques sem fundos de 3,23%, com alta de 8,04% e 3,64%, respectivamente, em comparação com dezembro (2,99%) e janeiro de 2005 (3,11%).