Mais gastos do que compras na Copa

0
1

No mês de junho, durante a Copa do Mundo, o consumo
brasileiro registrou uma retração de 1,6% em volume, se comparado com o mesmo
período do ano anterior, como foi levantado pela Kantar Worldpanel. Por outro
lado, as compras cresceram 10,9% em valor. Ou seja, o brasileiro gastou mais e
comprou menos.

A pesquisa mostra que as categorias que mais se destacaram
no período foram as ligadas ao churrasco, como a cerveja, que cresceu 6% em
volume e registrou uma variação do tíquete médio de 18,8%, o hambúrguer, com
crescimento de 9% em volume e 19% em variação de valor e a linguiça, que
aumentou 6% em volume e 20% no gasto médio. O pão industrializado teve um
crescimento em volume de 8% e de variação no tíquete médio de 20%. Já o ketchup
registrou o maior crescimento em volume de todas as categorias avaliadas, com
17% e 11% na média do valor gasto. A maionese, que é o principal acompanhamento
do churrasco, cresceu 13% em volume e teve 10% de variação no valor.  Creme de leite e sorvete registraram +15% em
volume de compras no período dos jogos, em comparação com 2013. Porém, o
sorvete marcou 21% de crescimento na variação do tíquete médio, contra 16% do
creme de leite.

O estudo ainda apontou que, no inicio, foi possível
identificar que 46% dos consumidores se sentiam indiferentes com o evento no
país, 33% animados e 15% totalmente desanimados. Os lares do Norte e Nordeste
foram os que mais demonstraram empolgação antes do Mundial, com 53%. Com 30%,
os lares da Grande SP apresentaram os menores índices de animação pré-evento,
mas mesmo assim, 79% dos entrevistados afirmaram que tinham a intenção de
acompanhar os jogos em casa. Avaliando as regiões com o melhor desempenho de
consumo durante o período, a Grande SP se destacou com +7,6% em volume médio
adquirido por viagem. E o Centro-Oeste foi a que mais demonstrou retração com
-7,7% em volume.