Matone investe em gestão estratégica

0
8


O Matone, instituição financeira gaúcha, investiu em business inteligente para otimizar o acesso a informações estratégicas para a gestão. O banco conta com uma plataforma de BI há dois anos e já percebe melhorias nos controles. A meta agora é reestruturar, até outubro, o software de gestão estratégica balanced scorecard (BSC). Como nos projetos anteriores, o Matone conta com os serviços da RCI Bussiness Inteligence Integrator, parceira no Rio Grande do Sul da Cognos.

A adoção de ferramentas de BI foi motivada pela necessidade de centralizar e unificar dados do banco em uma só base para se adequar à estrutura enxuta da empresa, que teve seu braço de crédito pessoal, a promotora Credimatone, vendida ao HSBC em novembro 2004. A mudança exigiu a reestruturação da plataforma de BI. O gerente de TI do Matone, Ricardo Nenê, relata como era o cenário antes da implantação. “Havia uma grande demanda de informações de TI, de vários setores do banco. Sem um sistema que reunisse esses dados, havia o risco de fornecer informações desencontradas.” Para escolher o provedor mais adequado a sua demanda, o Matone avaliou diferentes plataformas de BI, produzidas a partir de um relatório de gerência de alta complexidade. A tecnologia da Cognos, oferecida pela RCI, foi escolhida pela agilidade, flexibilidade e praticidade no uso da ferramenta.

Estrategicamente, a coordenação do projeto ficou a cargo da área de Planejamento e Custos do Matone. A área de TI ficou responsável pela construção física do data wharehouse e pelo desenvolvimento do processo de extração, transformação e carga de dados (ETL). Nenê acredita que a escolha contribui para que a tecnologia seja usada com foco no negócio. A integração entre os departamentos envolvidos no projeto é fundamental. “Apesar da separação das tarefas, durante o processo de definição dos cubos há uma etapa de validação e de avaliação dos modelos já existentes onde participam profissionais da TI e de Planejamento e Custos”, diz o executivo.

No ano passado, foram adaptados o BI Power Play, adquirido em 2004 com o objetivo de integrar diversas áreas do banco, e o Cognos Planning, também adotado naquele ano para controle das áreas de orçamento, despesas, planejamento e recursos humanos. Foram intensificados, ainda, os treinamentos com a equipe do Matone, instruindo 12 usuários, ocupantes de cargos de diretoria, gerência e supervisão, a utilizarem a plataforma de BI. A capacitação permite que, hoje, 90% do BI seja gerenciado internamente, com a RCI atuando no suporte e apoio à manutenção do sistema e prestando consultoria sob demanda.

Agora, a expectativa do Matone é consolidar as ferramentas de BI da Cognos como base para tomada de decisão tanto na ponta da captação, nas parcerias com fundos e bancos, quanto na ponta dos parceiros comerciais, os correspondentes do Matone. Ricardo Nenê destaca a importância da tecnologia para o grupo. “A plataforma de BI é o único repositório de informações – de forma padronizada – para atender à demanda de informação do Banco Central, de auditoria externa e dos parceiros comerciais”, conclui.