Mercado de cartões mantém crescimento

0
1



Com um faturamento de R$ 32,3 bilhões projetado para setembro, o mercado brasileiro de cartões continua caminhando para a quebra de novos recordes em 2008. Neste mês, o total de plásticos em circulação (crédito, débito, loja e rede) deverá alcançar a marca de 481 milhões, com aproximadamente 515 milhões de transações. Em comparação com os números fechados do mesmo mês do ano passado, o volume financeiro transacionado aumentou 24%, o número de transações 21%, e o total de cartões 14%. Os dados são da Abecs (Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços).

 

A estimativa no início deste ano era que o faturamento em 2008 teria um incremento em torno de 20%, e agora existe a certeza de que a previsão inicial será superada. Pesam nesse sentido basicamente dois pontos. O primeiro é que, tradicionalmente, o desempenho do setor de cartões no último trimestre é melhor do que nos demais meses. O outro ponto é que persiste a migração de outros meios de pagamento, em especial dinheiro e cheque, para o cartão.

 

O diretor de comunicação da entidade, Marcelo Noronha, destaca que os cartões de crédito continuam participando com a maior parte do faturamento do mercado, devendo responder em setembro por R$ 18,8 bilhões, ou 58% do total. O cartão de débito vem logo em seguida, com R$ 9,2 bilhões, ou 28% do mercado, e o de loja e rede com R$ 4,3 bilhões, equivalente a 13%. O cartão de débito, por sua vez, se sobressai por reunir a maior parte de plásticos, 213 milhões em setembro, e também por apresentar um aumento percentual mais significativo no gasto médio. Hoje, ele gira em torno de R$ 43, um valor 21% superior ao de um ano atrás. Esse aumento indica que mais consumidores têm usado o cartão de débito nas despesas do dia-a-dia para valores cada vez maiores, algo que fica patente com o incremento do ticket médio de 6% em relação ao mesmo mês de 2007.

 

Quanto ao número médio de vezes que os cartões são usados durante o mês, o de crédito é de longe o mais utilizado, com um índice estimado em setembro de 2,3 vezes, uma média que vem se mantendo desde 2007. Já no cartão de débito, o índice nos últimos meses tem cravado em 0,9 (quase um uso por mês) e, no de loja e rede, o índice é de 0,5. Esse índice considera a utilização média com base no número total de cartões em circulação em cada categoria. Somados todos os tipos de cartões, a projeção para setembro é que os plásticos serão usados, em média, 1,1 vez, número 6% superior ao de setembro do ano passado.