Millennials querem promoções

0
0
A geração millennial, de jovens com 18 a 30 anos, desejam que as marcas apresentem promoções que amenizem suas dificuldades decorrentes da crise financeira. É o que aponta um estudo realizado pela Bullet, feita em parceria com a MeSeems. A pesquisa ouviu 1.200 jovens brasileiros e detectou que esse grupo é mesmo adepto às ações promocionais. Tanto que 67% disseram já ter participado de uma dessas iniciativas. Mas não é qualquer ação que irá engajá-los. Tudo depende da mecânica e, principalmente, do prêmio. 
Em época de recessão econômica, onde 24% desses jovens se encontram desempregados (7% a mais em comparação ao mesmo período de 2015), é o prêmio em dinheiro o mais desejado (escolhido por 40%). Com 22% das respostas, bens materiais, como casa e carro, vêm em segundo lugar. Em terceiro, e talvez o que mais diferencie esse público dos demais, estão os prêmios em viagens ou serviços de entretenimento, alcançando 20%. 
De acordo com a gerente de planejamento da Bullet, Janaina Navarrette, com o poder de compra diminuindo, o primeiro item a ser cortado do orçamento dos millennials é o entretenimento. E é exatamente por isso que surge o desejo de que as marcas os ajudem a enfrentar esse momento desafiador da economia, assim não precisam abrir mão daquilo que gostam de fazer. 
“A Bullet vem estudando muito esse jovem para ajudar marcas a criarem uma relação de confiança e a trazerem relevância em suas promoções”, comenta ela. “É preciso se colocar no lugar deles para entender esse universo. Falar sua língua sem forçar a barra, entender que seu tempo é diferente e que os canais são diferentes. E pensar diferente pode ser legal. Nos faz olhar além, criando novas formas, mecânicas, linguagens e produtos”, completa. 
No quesito mecânica, a pesquisa aponta que para os millennials quanto mais rápida e fácil a promoção, melhor. Dos entrevistados, 39% preferem mecânicas por performance, como “junte e troque”. Enquanto outros 34% optam pelo “compre, ganhe e concorra”. Ou seja, quanto mais prêmios a marca oferecer, ainda que esses sejam menores, mais participantes devem aderir. É claro que os Millennials preferem os maiores e aspiracionais, mas é preciso ter prêmios instantâneos para tornar a ação mais atrativa. Aquele antigo “compre e concorra” já não funciona mais – apenas 8% disseram se sentir atraído por esse tipo de promoção. É a sensação de chances reais de ganhar que engaja esse público. 
O estudo ainda revela outros pontos que levam à conclusão de que millennials não compram, porque a marca diz e, sim, compram porque, de alguma forma, recebem algo em troca, além do produto. “Uma promoção pode e deve ser parte da estratégia de marketing das companhias para se aproximar dos jovens. A missão das agências é sair do automático, entregando o que os millennials precisam de verdade para transformá-los em verdadeiros promo lovers. O que fará as marcas, por consequência, se tornarem brand lovers também”, explica Janaina.