O canal para quem respira cliente.

Mobilidade não é conectividade!

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin



Autor: Vitor Elman


Imagine a cena! Você está em uma sala com 20 pessoas com um celular na mão. Pode imaginar quantas delas estão mandando SMS ou respondendo e-mails ao invés de conversando entre si? Certamente quase todas.


O ´boom´  do celular ultrapassou todos os limites tecnológicos. Criou-se então a mobilidade, o que modificou muito a forma de como nos relacionamos com as pessoas e com o mundo.


O aparelho móvel, seja ele um celular ou um notebook, está virando o “controle remoto” de nossas vidas digitais. Ele é uma ponte entre o mundo físico e o digital.


Mas hoje só isso já não basta. Vivemos na era da conexão. Só a partir do momento que a temos, podemos realmente falar de mobilidade. Afinal, a mobilidade é refletida em acesso a informações, comunicação, entretenimento, serviço e consumo.


Mobilidade sem acesso à web, no conceito que temos hoje em dia, se anula. Se você tem um laptop ou um celular e está em trânsito, mas não tem acesso à web, você está limitado às ferramentas que tínhamos há 20 anos. É o mesmo que não ter.


A tendência é que a mobilidade nos coloque em outro patamar desde o modo como o mundo se relaciona, até como realiza negócios. Cada vez mais esse meio se torna interessante para as empresas que querem estabelecer uma conversa com seus consumidores, seja através de conteúdo, ou de serviço.


Em um futuro, não tão distante, a mobilidade aliada à conexão pode mudar muito a forma de consumo das pessoas. No Japão o celular já
é utilizado como cartão de crédito e essa tendência deve vir para o Brasil.


Para dar um exemplo de como a mobilidade no Japão está em outro patamar, o uso de SMS não existe por lá. Toda a comunicação é feita por e-mail. Aqui no Brasil ainda não estamos neste patamar. O número de celulares no Brasil já chega a quase 190 milhões, porém, deste número apenas 82,2%, segundo a Anatel, utilizam sistema pré-pago normalmente com uma utilização baixa de dados. Além disso, a porcentagem de brasileiros com smartphones é de 25%.


Já é um fato, na classe C, a explosão de vendas de smartphones ganhando dos PCs. 90% da população já têm celulares. Agora o crescimento deverá ser em qualidade e serviços oferecidos nos aparelhos. Segundo um estudo mundial realizado pelo Gartner, o acesso a internet via celulares deve ultrapassar o de PCs em 2013.


A conectividade já é fato e deve ser cada vez mais indispensável em nossas vidas. Cabe a nós estar sempre ligado às tendências de acesso, pois cada vez mais não conseguiremos viver sem elas.



Vitor Elman é diretor de criação da agência Cappuccino Digital.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima