Não cuidar é perder dinheiro

0
1
Mais do que nunca, a geração de dados é maior. Tudo e todos trocam informações com os mais diferentes canais. Não só pelo conhecimento, os conteúdos são importantes, principalmente, para as empresas, pois será por meio deles que conseguirão gerir diversos fatores na organização, desde ações de marketing, criação de novos produtos e serviços, até estratégias para conquista de mercado e clientes. Mas, para que tenham maior efetividade por meio dos dados, é preciso que elas consigam ter um cuidado sobre as informações recebidas – e dentre os passos que devem ser levados em consideração está a limpeza desses dados. “O data cleansing é um parte de uma disciplina maior que é o ‘data quality’. Não colocar ele como um assunto estratégico dentro de uma empresa, significa perder dinheiro!”, afirma Fabio Ribeiro, sócio e diretor da Mktec.
A perda de dinheiro é, justamente, uma consequência da falta de gestão. Sem um filtro do conteúdo, se os cadastros não tiverem devidamente tratados e os dados mapeados, a capacidade de a empresa conseguir se relacionar com o cliente estará comprometida, bem como não será possível realizar um direcionamento nas ações de marketing direto ou de massa, comprometendo até mesmo o entendimento do público ao serviço que estará comprometido. “A informação empresarial no cenário competitivo que vivemos é um diferencial que norteia as decisões de negócio, a base para construção deste ambiente são os dados”, aponta Ribeiro. Além disso, ao realizar a limpeza de dados, a organização tem a segurança de que não irá trabalhar com aquelas informações de baixa qualidade, evitando que perdas sejam geradas ou que impeçam as tomadas de decisões adequadas.
Sem o data quality eficiente, a empresa está suscetível a ter problemas quanto à comunicação com os clientes. “O resultado é não entender o seu comportamento e com isso perder oportunidades de vender mais. Bem como reter o seu cliente, deixando-o disponível para a concorrência”, completa o executivo. “O data quality é essencial no processo de montagem de um DBM, que é a infraestrutura necessária para direcionar ações de marketing de relacionamento”. Assim, o grande benefício que o gerenciamento de dados traz às ações de marketing é a capacidade de oferecer o produto certo, e no momento certo, ao cliente. “Além de preservar o relacionamento com a valorização dos anos de relacionamento e de contribuição que seu cliente deu a empresa.”
Segundo Ribeiro, todas as empresas realizam o processo de data quality, ainda que seja em maior ou menor qualidade e proporção. O cuidado faz parte do tratamento dos cadastros, endereço, atribuição de sexo, house hold, identificação de cliente único, matching, mensurando quanto cada informação perdida vale em dinheiro e evitando que as informações erradas sejam propagadas. “Para resolver este problema, a empresa precisa de profissionais com experiência com o seu negócio e tecnologia, que possuam bom senso e capacidade de entrega.”