Não é preço, mas qualidade

0
5



Marcas próprias das grandes redes varejistas ocupam cada vez mais espaço dentro dos lares brasileiros. Em 2012, 52% das famílias colocaram ao menos um produto de marca própria em suas despensas, segundo estudo da Kantar Worldpanel. A pesquisa mostra ainda que atualmente esses produtos são relacionados à qualidade e não ao preço baixo. A confirmação disso é nítida ao observar a penetração nas classes sociais, já que 60% dos lares com melhor poder aquisitivo, classes A e B, adquiriram algum item dessa linha, em 2012, uma presença maior no que nas classes C, que registrou 52%, e D e E, com 49%.

 

“Os produtos de marcas próprias já não são mais relacionados a preço baixo devido a baixa qualidade, hoje 84% dos consumidores desse tipo de produto justificam sua escolha considerando serem itens de boa qualidade”, comenta Christine Pereira, diretora comercial da Kantar Worldpanel. “74% da amostra também considera o preço na hora de fazer sua escolha, contudo, sua busca é o preço mais acessível para produtos de valor agregado, ou seja, não existe mais a interpretação de que o preço inferior significa qualidade inferior”, explica a executiva. Apesar de uma penetração mais alta, o dinheiro gasto para compra de marcas próprias nas classes A, B e C é o mesmo, os dois grupos investem 40% de seus gastos com bens não duráveis nesse tipo de produto. Já a classe D e E investe apenas 20% para esse consumo.