NF-e movimento mercado de tecnologia

0
8


De acordo com pesquisa da Associação Brasileira de e-business (ebusiness Brasil), realizada com 224 empresas, cerca de 80% delas têm interesse em introduzir a Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) em curto e médio prazo e 26,5% estão apenas aguardando a permissão do governo para iniciarem os projetos. A NF-e é um projeto da Receita Federal que obriga as maiores companhias do país a adotar o novo sistema a partir de 2007. O objetivo da iniciativa, além, é claro, de controlar a sonegação fiscal, é registrar eletronicamente os recolhimentos de ICMS (Imposto sobre circulação de mercadorias e prestação de serviços) e IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados). No âmbito municipal, a prefeitura de São Paulo também tem um projeto de NF-e, para o recolhimento de ISS, cuja emissão é obrigatória para as organizações com faturamento superior a R$ 20 mil mensais.

Desde o início de agosto, as empresas com esse perfil são obrigadas a realizar um cadastro que permite acessar o site da prefeitura e cadastrar os dados referentes à cobrança do ISS. Porém, dependendo da quantidade de notas fiscais a emitir, o cadastramento dos dados fiscais cliente por cliente torna-se um problema, por causa do tempo gasto e da grande possibilidade de ocorrerem erros. Com isso, as empresas de tecnologia têm corrido contra o tempo para adaptar as soluções às novas exigências. Estima-se que com a implementação da NF-e o setor de tecnologia tenha uma movimentação extra de R$ 300 milhões em 2007.

A desenvolvedora de softwares administrativos e contábeis Contmatic Phoenix desde o mês de agosto começou a oferecer a solução para os clientes, com a integração dos softwares de gestão contábil ao sistema da prefeitura de São Paulo. “Adaptamos nossos softwares, sem custo adicional, para que os dados sejam exportados diretamente do sistema interno para o do município. Dessa forma, a organização não tem de ter um funcionário exclusivamente para cadastrar os dados, além de diminuir em 99% as chances de ocorrer um erro de digitação, pois o lançamento dos dados é feito automaticamente desde a sua origem”, afirma o diretor-presidente da Contmatic Phoenix, Sérgio Contente.

Ainda de acordo com Sérgio, a informatização está se tornando uma questão de ‘sobrevivência’ para as empresas. “Com o uso da tecnologia, os dados podem ser exportados em minutos, e sem erros. De forma manual, o processo chega a levar dias. No caso das grandes empresas, a situação ainda é pior. Imagine o tempo que elas levariam para cadastrar todas as notas emitidas mensalmente”, conclui o diretor-presidente.