No encalço do campeão

0
7
A Copa do Mundo é um momento de grande visibilidade. Período em que todas as atenções estão voltadas para o evento. Sejam os visitantes nacionais ou estrangeiros, todos circularão pelas cidades-sedes com um único assunto: a competição. Porém, essa é também uma boa oportunidade para as empresas aumentarem as vendas, estreitarem os laços com os clientes e investirem na fidelização de novos públicos. Aliás, uma ação que seja bem planejada pode trazer resultados futuros, até depois dos jogos. Porém, como fazer com que as empresas consigam se beneficiar?
Em primeiro lugar, o investimento com o cliente não deve acontecer apenas durante o Mundial. Segundo o especialista em estratégias empresariais e mestre em administração de empresas, Marcos Morita, é preciso de tempo para fortalecer a experiência com o público. “Investir no relacionamento com os clientes deve ser algo feito antes, durante e depois da Copa. Empresas que porventura decidirem investir somente para aproveitar o evento, certamente estão fadadas ao fracasso, uma vez que o relacionamento ocorre em bases longas”, explica ele.  Depois de enraizado esse conceito, a empresa precisa planejar qual o melhor meio para agir, adequando ao seu perfil e ao de seu consumidor, tal qual o seu envolvimento com a competição.
Na visão de Alexandre Slivnik, especialista na área de recursos humanos e treinamento e sócio-diretor do Idepro, Instituto de Desenvolvimento Profissional, as empresas devem aproveitar a exposição do Mundial para se tornarem memoráveis. “Eventos marcantes são datas inesquecíveis. Fazer essa associação é extremamente importante para que seu cliente não se esqueça da sua marca. Sabemos que todos os momentos são importantes para incrementar relacionamento com o cliente, porém, normalmente, em datas comemorativas, o cliente está mais aberto e é mais fácil criar uma conexão emocional com ele”, afirma. Por outro lado, é necessário bom senso para criar tal relacionamento, ou então a ação pode ter o efeito contrário. “Nunca entre em contato com o cliente em dias de jogos do Brasil, a não ser que seja para dizer ´Bom jogo´. Tente ´navegar´ conforme os resultados!”, alerta Slivnik. Além de não esquecer da empatia na hora de manter contato.
Mais do que planejar e procurar pelo momento certo, preocupar-se com o cliente é essencial. O  diretor de vendas e operações da Catho Empresas, Leonardo Cotsifis, considera que o cuidado com o público deve ser constante, independente da época do ano, e colocá-lo em primeiro lugar nos planejamentos é uma tática para poder minimizar erros. “A melhor forma de evitar esse erro é colocar o cliente no centro de todas as estratégias da empresa”, salienta. Assim, as ações devem também reafirmar ao cliente o quanto ele é importante à empresa. “Para os clientes, trata-se de um momento especial que é proporcionado por uma empresa que os reconhece de uma maneira especial”. E oferecer a sensação de importância também faz com que o consumidor se sinta satisfeito.
Aliás, satisfação deve ser foco das estratégias. Mostrar ao torcedor que a empresa está junto com ele na torcida faz com que a imagem positiva perdure até mesmo depois do fim da Copa. Como foi o caso da Samsung, em que as suas práticas foram voltadas para agradar as pessoas e atender a maior demanda de visitantes. Ações que deram certo e trouxeram tanto resultados positivos que serão mantidas. “Trabalhamos para que ações pontuais e que tragam benefícios para os consumidores sejam mantidas. Podemos citar como exemplo os investimentos no atendimento bilíngue, ação feita especialmente para esse momento. Os resultados estão sendo tão positivos que devemos permanecer com essa iniciativa após os jogos”, afirma Luiz Ruiz, diretor de atendimento ao consumidor da empresa no país.
E para você, qual a melhor estratégia para ampliar o relacionamento com o cliente durante a Copa do Mundo? Deixe a sua opinião na enquete do portal ClienteSA.

Confira as matérias do especial:
Samsung vê a preocupação com os clientes como prioridade nas ações
Copa do Mundo é um momento favorável para estreitar relacionamento
Relacionamento com cliente não deve ser uma preocupação apenas em época de grandes eventos
Desaceleração no atendimento durante grandes eventos deve ser evitado pelas empresas
Mesmo na Copa do Mundo, é preciso saber a hora certa para criar empatia com o cliente