O DMA 2010 e o e-mail marketing

0
1



Autor: Arthur Guitarrari


Entre uma palestra e outra e visita aos estandes no DMA (Direct Marketing Association – 2010), maior evento de marketing direto do mundo, que ocorreu na Califórnia, cheguei alguns minutinhos atrasados na palestra de Regina Brady, CEO da Reggie Brady Marketing Solutions, uma consultoria de marketing, sobre e-mail marketing.


A sala já estava cheia com algumas pessoas em pé e rapidamente localizei o único lugar disponível e sentei. O que me chamou a atenção foi a quantidade de pessoas interessadas no assunto, pois havia muitos outros temas também interessantes sendo abordados ao mesmo tempo.


Apesar das inúmeras palestras sobre redes sociais, convergências de canais, DRTV, entre outros assuntos tanto quanto relevantes, o e-mail marketing me interessava e fui conferir se ainda havia novidades.

 

Na sala, a palestrante uma senhora demonstrando total intimidade com o assunto em questão. Logo de início o assunto abordado foi como adquirir novos clientes por meio do canal e-mail. Uma dica que chamou a minha atenção foi a da simplicidade. A recomendação de Regina é enviar um primeiro e-mail contendo… dois parágrafos.


O primeiro menciona a relevância do assunto para a pessoa que está recebendo o e-mail como, por exemplo: Você está recebendo esse e-mail, pois acreditamos que esse assunto… é de seu interesse e queremos apresentar…


O segundo parágrafo deve conter um texto de agradecimento pela atenção e opção de descadastramento, se não houver interesse pelo assunto como, por exemplo: Agradecemos pela sua atenção, caso esse assunto não seja de seu interesse, clique aqui para deixar de receber os nossos e-mails.


Claro, não podemos esquecer de pensar em um Subject (assunto) que gere interesse e que tenha entre 30 e 35 caracteres.


Outra dica, pegando um gancho na comunicação anterior: aqueles que optaram em continuar recebendo e-mail, o segundo e-mail, mais elaborado, já devem receber uma peça de comunicação que deve começar com uma frase explicando porque a pessoa está recebendo o e-mail como, por exemplo: Você está recebendo esse e-mail porque entendemos que esse assunto é de seu interesse.

 

Mais adiante Regina comentou sobre as ofertas, divulgadas através do e-mail. O ideal, antes de apresentar a oferta, é mencionar algo que seja relevante e desperte o interesse da pessoa que esteja recebendo a comunicação como, por exemplo: seis dicas para aproveitar as promoções de e-mail marketing.


Não deixe de fazer a oferta e o call to action, mas dê destaque a essa chamada.


Ainda sim dê a opção de opt-out no final do e-mail como, por exemplo: “Você está recebendo este e-mail por estar cadastrado em nosso mailing. Em respeito à sua privacidade, a Zipcode faz questão de deixar você totalmente à vontade para optar se deseja ou não continuar recebendo os nossos e-mails. Se você não deseja mais receber nossos e-mails, cancele sua inscrição aqui”.

Por último, se achar relevante coloque informações de contato. Nos Estados Unidos é lei informar o endereço físico da empresa que está enviando o e-mail. E isso dá credibilidade. No Brasil, foi lançado em 2009 o Código de Autorregulamentação para a prática do email marketing, que visa trazer ética em relação ao uso desse canal. Veja mais em http://www.capem.org.br/


A palestrante lembrou também a necessidade de convergência entre os canais, pois as pessoas estão lendo e-mails através de Iphone e Ipad e, nesse sentido, é importante adaptar a peça para que os e-mails sejam lidos através desses novos dispositivos.


Mas a palestra não ficou somente na peça de comunicação. Houve dicas de como respeitar a privacidade do consumidor e incrementar o índice de captura de dados via web. Para a newsletter, além do box de cadastro do e-mail, é importante colocar um exemplo do template da news que irá enviar e ao lado, a política de privacidade.


Regina mostrou duas telas sendo uma com um formulário de cadastro do lado esquerdo e outra com o formulário de cadastro do lado direito. A especialista solicitou à platéia que levantasse a mão, perguntando quem achava que o formulário de cadastro do lado esquerdo era mais eficiente que o direito e vice versa. Em seguida, apresentou a sua conclusão. Bingo: as pessoas responderam o lado direito. Fica aí mais uma dica: formulário do lado direito faz com quem as empresas recebam mais cadastro que os do lado esquerdo.


Agora que você recebeu essas dicas, não perca mais tempos inicie o seu planejamento, solicite um levantamento de público alvo e execute sua campanha.
Vamos alinhar nosso plano de comunicação aplicando tendências internacionais e que… estão dando certo!


Arthur Guitarrari é gerente de novos negócios da Zipcode