O EPM na condução da estratégia dos negócios

0
4


A Business Objects, fornecedora de soluções de Business Intelligence, anuncia os resultados do BusinessWeek Research Services Study, estudo que aponta o conceito de Enterprise Performance Management (EPM) como principal método para avaliação e execução da estratégia corporativa. A pesquisa, realizada com mais de 50 executivos do ranking Global 1000, dimensiona o momento atual do gerenciamento de performance corporativa nas maiores empresas do mundo e aponta o rumo que o conceito deve tomar. O estudo sinaliza que o EPM fará o gerenciamento de desempenho individual e corporativo, ao revelar claramente como cada funcionário e a organização como um todo contribuem de forma positiva e negativa para os negócios.

“O gerenciamento de performance vem se tornando cada mais atraente aos executivos por responder perguntas como o grau de desempenho da empresa e o comprometimento da equipe hoje”, destaca Fernando Corbi, diretor geral da Business Objects no Brasil. Para ele, o Business Intelligence entrega soluções analíticas para avaliar os indicadores de performance nas mãos daqueles que tomam as decisões e faz do gerenciamento dos negócios – pela pró-atividade e predição de cenários – uma realidade.

O BusinessWeek Research Services Study abordou os executivos de forma aprofundada, questionando sobre as expectativas para estratégias de gerenciamento de performance e técnicas para os próximos cinco a dez anos. A conclusão do estudo aponta cinco previsões para o papel do EPM na condução da estratégia corporativa nos próximos anos:

1. O EPM possibilita o uso das melhores práticas – A idéia do EPM é aprimorar a qualidade das escolhas estratégicas em cada nível da companhia. Para possibilitar as melhores práticas, os entrevistados sentem que a melhor e mais eficiente maneira é dar aos indivíduos a habilidade de analisar a relação com a melhoria da performance e colaborar com ações que favoreçam as metas desejadas, e buscar o progresso a todo o momento.

2. O EPM padroniza a medição da performance – Muitos entrevistados esperam que o EPM os ajude a definir a contribuição do papel de cada um nas organizações e, dessa forma, criar uma nova cultura de responsabilidades. Assim, possibilitará uma mensuração consistente das métricas chaves que levam à otimização da performance. Os entrevistados acreditam que a estratégia de EPM se torna um componente indispensável para obter mudanças e reforçar a consistência e disciplina nas medições.

3. O EPM conecta recursos humanos à estratégia corporativa – O EPM irá motivar os empregados a entender exatamente o que se espera deles e as conseqüências quando falham. O conceito significa que a responsabilidade sobre o lucro e as perdas será medida em nível individual e será cobrada mais eficiência nas operações.

4. O EPM acelera a tomada de decisão com base em informações – O gerenciamento da performance começa e termina em pessoas. O EPM diz respeito a fornecer a informação correta para as pessoas corretas no momento certo, de uma maneira que permita que mudanças positivas sejam feitas. Quando uma estratégia de EPM está em ação, os entrevistados responderam que será mais fácil ver os problemas causados a longo prazo por uma forma de pensar de curto prazo. Também a longo prazo, o EPM permite clareza de estratégia e direcionamento correto quando as atividades são mapeadas diariamente, semanalmente e trimestralmente.

5. O EPM mudará a forma como os CEOs pensam em estratégia – Os entrevistados em geral dizem que a meta de longo prazo em relação ao gerenciamento de performance é que os CEOs farão da formulação da estratégia um exercício onde todos os empregados não são apenas encorajados, mas requisitados a participarem. Em geral, o EPM está mudando rapidamente a forma com que os gestores estão pensando em performance. Uma vez expostos ao EPM, os CEOs não devem mais gerenciar apenas com base nos lucros por ação, mas também para as métricas. A chave será fazer com que toda a gerência sênior acredite no EPM e alcancem um estado de conscientização sobre a performance.