O que elas esperam?

0
3



Pesquisa realizada pela Accenture com mil mulheres, entre 22 e 35 anos, revelou que grande parte das jovens acredita que terá uma carreira gratificante, com equilíbrio entre a vida profissional e pessoal. Deste total, 66% indicam que sucesso é trabalhar com algo que tenha significado. Já 59% das entrevistadas apontam a necessidade de manter o equilíbrio entre vida pessoal e profissional. Outros fatores importantes são: emprego estável, que proporciona segurança financeira; um bom ambiente de trabalho; comunicação aberta com os supervisores; e oportunidades para crescer profissionalmente.

 

Praticamente todas as participantes (94%) acreditam que podem atingir uma vida profissional satisfatória e pessoal gratificante. Quanto perguntadas sobre qualidades típicas necessárias em uma líder, 70% citaram “manter equilíbrio entre trabalho e vida”, seguido por “ser flexível” e “ser capaz de fazer a diferença” (66% e 64%, respectivamente). Adicionalmente, 60% delas alegaram ter sentido o impacto da crise econômica, enquanto um terço (33%) estão mais preocupadas em manter seus trabalhos, do que em possuir uma vida balanceada entre trabalho e pessoal.

 

A Accenture verificou que a qualidade de vida muitas vezes é mais importante do que o crescimento profissional. Grande parte (70%) acredita que será bem sucedida. Já um terço confia que vai chegar ao topo. Ainda assim, quando perguntadas sobre o que realmente é importante, 66% citam a vida familiar. “De tanto perseguir uma carreira e vida pessoal satisfatórias, as millennials se beneficiarão em definirem prioridades e acompanharem seus progresso ao longo do caminho”, disse LaMae DeJongh Allen, diretora de Gestão de Capital Humano e Diversidade da Accenture, nos Estados Unidos.

 

Quase metade das pesquisadas (46%) revelou que atualmente possui uma vida profissional e pessoal equilibrada. Outro dado é que enquanto 46% alegaram abrir mão de parte do salário se isso significasse mais tempo na vida pessoal, 54% fariam o inverso. “Elas deverão explorar formas alternativas para subir nas corporações. Dar um passo para o lado dentro de uma organização, por exemplo, pode ser uma forma eficaz para satisfazer a necessidade de aprender novas habilidades e adquirir uma valiosa experiência, enquanto se continua a trabalhar para o avanço no longo prazo”, observa de Jongh.

 

Embora confiantes no futuro, as entrevistadas admitem que existam barreiras e que elas estão em fase de mudança. Para 12% das entrevistadas o casamento é um obstáculo para a carreira, enquanto 19% encaram as políticas de maternidade como um empecilho. A pesquisa ainda revelou que está crescendo o número de mulheres nos cargos de liderança. Apenas um quinto (20%) relataram a falta de mulheres no C-suite e nos conselhos de administração das empresas.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorChina House renova site
Próximo artigoBola da vez no varejo mundial