Ogilvy Brasil fecha negócio com F.A.V.

0
2
O setor de comunicação acompanha o exuberante crescimento do mercado imobiliário, que atraiu US$ 1,23 bilhão em investimentos estrangeiros entre janeiro e setembro de 2006, o que corresponde a 8,8% do total de recursos vindos do exterior nesse período, segundo dados do Banco Central. Construtoras, incorporadoras, imobiliárias, entre outras empresas do mercado de imóveis, investiram mais de R$ 500 milhões em comunicação em 2006, valor que deve crescer até o final deste ano. De olho nesse filão, a Ogilvy Brasil passa a atuar no segmento de marketing imobiliário a partir da associação com a F.A.V. Propaganda. A operação permitirá o início de um trabalho conjunto, que posteriormente resultará num processo de aquisição.
Há 16 anos no mercado, a agência passa a se chamar OgilvyFav Marketing Imobiliário. “Vamos oferecer uma metodologia de trabalho já consagrada pela Ogilvy mundialmente, mas nunca antes utilizada pelo mercado da construção”, diz Fábio Almeida Vasconcelos, fundador da F.A.V. Propaganda, referindo-se à comunicação em 360º.
A F.A.V. Propaganda já trabalhava com uma forma muito similar à Ogilvy, sempre analisando todos os pontos de contato da marca com o consumidor para definir a melhor estratégia. “Essa maneira de encarar o negócio da propaganda e os resultados obtidos nos mais diversos lançamentos nos surpreenderam e tivemos aí a certeza de que a agência seria a melhor opção para iniciarmos a disputa pelas verbas do setor”, explica Sérgio Amado, chairman do board e presidente da Ogilvy Brasil.
Fábio irá comandar a nova unidade de negócios – a sétima da Ogilvy Brasil – ao lado de José Mário Hyppólito, responsável há 2 anos pela área administrativa da F.A.V. Propaganda. Ambos dirigirão uma equipe de aproximadamente 40 profissionais, que permanecem baseados na sede da empresa, localizada no Bairro da Vila Olímpia, região Sul de São Paulo. A expectativa é dobrar o staff no primeiro ano de operação a partir da geração de novos negócios. Um deles já deve ser anunciado em breve, ajudando a agência a conquistar novas posições no ranking nacional das agências de propaganda. “Esperamos subir pelo menos 20 pontos”, acredita Vasconcelos.