Oracle une-se ao centro de pesquisas nucleares europeu

0
1

A Oracle Corporation uniu-se ao Openlab for DataGrid Applications da Cern (Organização Européia de Pesquisa Nuclear) a fim de contribuir para a criação de novas tecnologias de grid computing (também conhecida por computação em malha). A iniciativa reúne os parceiros Oracle, Enterasys Networks, HP, IBM e Intel e desenvolverá e testará protótipos de aplicativos de grid com maior capacidade e funcionalidade. O ambiente aberto e colaborativo da parceria enfatiza um programa de desenvolvimento comum para grid computing, com uso intensivo de dados e baseado em padrões abertos.

Como patrocinadora, a Oracle está oferecendo 1,5 milhão de euros ao longo de três anos destinados a equipamentos e ao financiamento dos pesquisadores, que testarão o Oracle Database 10g no ambiente da Cern. O LHC Computing Grid (LCG) deverá ser, segundo a Oracle, o maior aplicativo com uso intensivo de dados da década, porque representará o principal elo entre os detectores do LHC e quase 10 mil cientistas de física nuclear e dezenas de milhares de computadores do mundo inteiro. Essa grid será usada para analisar os dados do LHC, vasculhando petabytes (milhões de gigabytes) de dados de colisão de partículas subatômicas, para procurar pistas da origem do Universo.

“As tecnologias de grid desenvolvidas pela Cern passarão por um teste-piloto como parte do projeto Large Hadron Collider. À medida que essas tecnologias forem absorvidas pelo mercado comercial tradicional, tanto nós, quanto nossos clientes, usufruirão de benefícios”, complementa Sergio Giacoletto, vice-presidente executivo da Oracle para as regiões da Europa, Oriente Médio e África.