País avança rapidamente na cultura móvel

0
1



De acordo com dados divulgados pelo Ibope em 2010, o internauta permanece, em média, 45 horas por mês na web. Com o crescimento da conexão sem fio e a sofisticação dos dispositivos móveis, a tendência é que haja uma explosão em termos de conectividade e mobilidade.


Para Vitor Elman, diretor de criação da Cappuccino Digital, agência de comunicação em São Paulo, a classe “C” vem crescendo exponencialmente em relação à veiculação de dados por celular, sendo este a maior fonte de acesso a web do que até o próprio desktop. “Se um usuário tem um laptop ou um celular e está em trânsito, mas não tem acesso à web, ele estará limitado a ferramentas que tínhamos há 20 anos” e completa o executivo. Para ele os dispositivos móveis, seja um celular, um notebook, um smartphone, estão se transformando no controle remoto das vidas digitais das pessoas. É uma ponte entre o mundo físico e o digital”.


A verdade é que o celular mudou muito a forma de relacionamento com as pessoas e com o mundo. A tendência é que isso aumente para outro patamar de modo como o mundo se relaciona até com os negócios.  “No Japão, o aparelho já é utilizado como cartão de crédito e no Brasil, o mesmo deve acontecer”, explica Elman. 


Ele dá outro exemplo de como a mobilidade no Japão já está altamente avançada: “o uso de SMS não existe por lá. Toda a comunicação é feita por e-mail. Isso porque eles não têm problemas de conexão em nenhum lugar. Então o e-mail se torna a forma mais rápida, segura e prática de se comunicar”, completa. “Aqui no Brasil ainda não estamos neste patamar. O número de celulares no País já chega a quase 190 milhões, porém, deste número, 82,2%, segundo a Anatel, utilizam sistema pré-pago normalmente com uma utilização baixa de dados”. Além disso, segundo o executivo, a porcentagem de brasileiros com smartphones é de 25%.
 
“Com isso, temos ainda um caminho grande, porém que tem sido percorrido rapidamente de formação de uma cultura móvel no País. Acredito que ao longo dos próximos cinco anos devemos ter um grande amadurecimento nesse setor”, destaca.  Para finalizar, o executivo da Cappuccino Digital alerta que as empresas já devem pensar nesta forma de interatividade com o consumidor. “Cada vez mais esse meio se torna interessante para as companhias que querem estabelecer uma conversa com seus consumidores, seja por meio de conteúdo ou através de serviço”, destaca.