Páscoa: quatro em 10 compraram chocolates

0
0
Na Páscoa deste ano, quatro em cada dez brasileiros (41,9%) compraram chocolates para comemorar a data. Segundo informa uma sondagem feita pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). Outro dado informado foi o fato de que 37,8% dos entrevistados diminuíram o valor gasto, em comparação com o ano passado. Seja por conta do aumento do desemprego, por endividamento, seja pela redução salarial.
Outros 28,3% dos entrevistados afirmaram gastar mais do que na Páscoa de 2015 devido à percepção de aumento nos preços do chocolate. Na média, o gasto total do brasileiro foi de R$ 106. A pesquisa leva em conta tanto os consumidores que já haviam comprado presentes antes da Páscoa, como os que deixaram para comprar de última hora. “Com o crédito cada vez mais restrito, a inflação elevada e as altas taxas de juros, o consumidor vê o seu poder de compra diminuir e a principal medida para salvar as finanças acaba sendo o corte de gastos, inclusive em datas comemorativas”, afirma a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti.
Neste ano, os itens mais procurados foram os ovos de chocolate, citados por 66,4% dos consumidores que realizaram alguma compra para a Páscoa. Com percentual bastante próximo ficaram os bombons (44,1%) e as barras de chocolate, com 63,3% de menções. As colombas pascal (8,4%) e os ursos de pelúcia (2,3%) completam a lista de produtos mais comprados na Páscoa deste ano. 
Dinheiro foi a escolha
Quanto aos locais de compra, os supermercados (58,9%) lideraram com folga, bem à frente do shopping center (24,0%) e das lojas de rua (20,1%). A pesquisa mostra também que o pagamento dos ovos e chocolates à vista em dinheiro destaca-se como a principal modalidade utilizada pelos consumidores (52,2%), posicionando-se a frente do cartão de crédito a vista (21,8%) e do cartão de crédito parcelado (8,8%).
“O dado está coerente com o atual momento econômico, em que as pessoas se veem obrigadas a cortar despesas para driblar a inflação e também estão menos seguras em seus empregos”, orienta o educador financeiro, José Vignoli.
Marcela destaca que a Páscoa representa a primeira grande festa do ano para o comércio e pode funcionar como uma prévia não só para o Dia das Mães, como para o desempenho da atividade comercial ao longo de 2016.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorFast Shop investe em nova plataforma
Próximo artigoMerial investe em CRM