PeopleSoft quer crescimento voltado ao middle market

0
1

Com a meta de crescer 10% (em dólar) este ano, Paulo Bonucci, diretor geral da PeopleSoft e Enrique Prezyera Olvera, vice-presidente senior para a América Latina, anunciaram novas estratégias de atuação para a subsidiária brasileira. Otimista com os negócios para 2003, os executivos relataram um pouco da história da PeopleSoft, lembrando que, há poucos anos, a empresa fez altos investimentos para reescrever sua arquitetura, hoje 100% internet, para atender a globalização dos negócios. “Em um ambiente global, o cliente quer digitalizar seus processos de negócios, por isoo a necessidade de uma tecnologia internet”, comenta o VP Prezyera.

As novas medidas ficaram por conta dos investimentos no Centro de Suporte Técnico, instalado em São Paulo, que através de um 0800 atende toda a América Latina e México; e no centro de pesquisa e desenvolvimento. Porém, o principal investimento fica por conta da criação de um laboratório de metodologia para aplicação de baixo custo, para atender ao middle market. “Hoje, 25 a 30% dos clientes da PelopleSoft estão no middle market”, avalia Prezyera. Para as empresas brasileiras de médio porte, o executivo considera as que estão abaixo de 100 milhões de dólares.

As perspectivas da PeopleSoft é continuar com a liderança nas aplicações de RH, enfocar os mercados intenacionais e intensificar os trabalhos nos laboratórios. Outro mercado promissor para a empesa é o mercado de educação. “O crescimento em número de universidade dá uma visão otimista para novos clientes. Já estamos preparados para atender este mercado com as soluções de gestão educacionais. Até o final do ano esperamos conquistar dois novos clientes neste segmento”, avalia Bonucci.