Pequenas empresas devem menos

0
1


Estudo da Serasa, abrangendo o período de 2000 até o primeiro trimestre de 2006, apontou diferença no perfil das dívidas nas pequenas e grandes empresas. A pesquisa foi feito com base nos demonstrativos de cerca de 43 mil pequenas empresas com faturamento até R$ 4 milhões no setor da indústria, comércio e serviços. Já os números das grandes foram retirados de diversos estudos.

A pesquisa revela que o endividamento das micros e pequenas empresas é menor que o apresentado pelas grandes, sendo 91% nas empresas do comércio, 129% nas empresas da indústria e 70% nas empresas de serviço, contra 163%, 142% e 140%, respectivamente, das grandes empresas. Esses resultados podem ser explicados pelo fato das grandes empresas contarem com maior oferta de linhas de financiamentos, em razão da maior transparência na divulgação de informações, o que permite melhor avaliação dos riscos e, por conseqüência, taxas diferenciadas. Já as pequenas empresas sofrem com o crédito mais reduzido, em parte, devido às poucas informações fornecidas para o mercado, dificultando uma melhor avaliação. Além disso as taxas de juros afastam as pequenas empresas que evitam uma maior exposição pois dificilmente conseguiriam nas atividades retornos que permitissem remunerar os encargos financeiros.

A indústria, que representa 19% do total da amostra de micro e pequenas empresas, é a que apresenta o maior nível de endividamento total e bancário dentre os setores. O endividamento bancário médio, de 29% nos últimos 6 anos, é o dobro se comparado aos demais setores, mas representa a metade do endividamento das grandes empresas.

O setor de serviços, que representa 37% do total da amostra de micro e pequenas empresas, é o que revela o menor nível de endividamento médio total, 78%, e representa a metade do endividamento das grandes empresas. Enquanto as grandes têm a necessidade de realizar vultosos investimentos em ativos fixos, como acontece nos setores como energia elétrica, saneamento e telecomunicações, as micro e pequenas empresas, concentram os investimentos na qualificação da mão de obra, como acontece nos serviços médicos e consultorias.

No comércio, as micro e pequenas empresas, que representam 44% da amostra do estudo, devem mais que os outros setores, em função da característica da atividade, sendo seu endividamento quase equivalente ao montante dos recursos próprios, destacando-se que as principais são as dívidas operacionais, principalmente com fornecedores, o chamado crédito mercantil. Por outro lado, os financiamentos bancários são baixos, com média de 15% e nas grandes empresas se mostrou, com média de 163%.