Clique e visite a landing do Congresso ClienteSA 2022

O canal para quem respira cliente.

Pesquisa define perfil da mulher consumidora de moda no varejo

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin

Mulheres mais jovens, com nível superior concluído e com maior renda preferem comprar roupas em shopping centers, enquanto que hipermercados e lojas de departamento se transformaram nos principais canais de consumo de vestuário para a maioria das mulheres entre 25 e 40 anos. Cerca de 70% das vendas de cosméticos e artigos de perfumaria são efetuadas em lojas de rua. Lojas especializadas são as preferidas pela maioria das consumidoras quando o assunto é a compra de calçados.

Esses são alguns resultados da pesquisa A Mulher e o Varejo de Moda – Como Otimizar essa Experiência nos Diversos Tipos de Varejo desenvolvida pela ACI Pesquisa. O estudo traça o perfil da mulher consumidora de moda com foco em três tipos de produtos (roupas, calçados e cosméticos) e os formatos dos diferentes canais de venda, destacando características e serviços essenciais para fidelizar consumidoras das classes A e B.

A coleta de dados foi realizada na cidade de São Paulo com 800 mulheres que pertencem às classes A e B. A escolha desse nicho foi baseada nos seguintes fatores:
· As mulheres entrevistadas pertencerem a uma faixa de consumidores que movimenta anualmente cerca de US$ 165,5 bilhões no Brasil e corresponde a 45% do consumo urbano;
· 49% das mulheres entrevistadas trabalham e 51% não;
· Em 1990, 22,2% das mulheres tinham um rendimento mensal acima de 5 salários mínimos, hoje, esse número cresceu para 38,3%;
· Houve um expressivo crescimento da participação da mulher no mercado de trabalho. Em 1990 elas representavam 35% do mercado e hoje esse número chega a 44%;
· O número de mulheres que se tornaram chefes de família cresceu de 18,9% em 1990 para 25% em 2001;
· O número de mulheres com formação superior é maior que o de homens. Em 1996 ela representavam 17% contra 14% dos homens. Em 2001 devem chegar a 20% contra 15% de homens;
· 54% das mulheres entrevistadas possuem curso universitário incompleto.

Com base nos dados coletados nas entrevistas foi possível traçar o perfil de dois tipos de consumidoras, suas relações com diversos canais de venda, os principais atributos associados à satisfação no varejo e o diferencial determinante para escolha de lojas de vestuário, calçados e cosméticos. Segundo o estudo, existem mulheres de demanda sofisticada e mulheres de demanda singela. As primeiras necessitam de maior número de atributos para se sentirem incentivadas a consumir, enquanto que as segundas não são tão exigentes em relação à qualidade dos serviços e benefícios oferecidos no ponto-de-venda. O varejo de calçados é o segmento onde essas diferenças são mais perceptíveis.

Enquanto no segmento de calçados as mulheres de demanda sofisticada exigem:
· Critério de exposição de produtos;
· Variedade de produtos,
· Proximidade de produtos afins;
· Respeito pelo consumidor;
· Identificação dos produtos;
· Rapidez no atendimento;
· Espelhos;
· Preço;
· Atenção do vendedor.

….as mulheres de demanda singela buscam apenas:
· Atenção do vendedor;
· Rapidez no atendimento.

Essas diferenças e outras características específicas de cada grupo serão abordadas pela sócia diretora da ACI Pesquisa, Sônia Bittar, durante o 1º Fórum Regional de Varejo da América Latina, que se realizará no dia 25 de outubro, em Brasília. O evento, promovido pelo IPEDV – Instituto de Pesquisas e Estudos da Distribuição e Varejo, com apoio da consultoria de varejo Gouvêa de Souza & MD e da Câmara de Dirigentes Lojistas – DF, terá uma série de painéis direcionados para as novas tendências de varejo e perspectivas para o setor.

Informações e inscrições: (11) 3016-0582
Local: Naoum Plaza Hotel – SHS Quadra 5 – Blocos H/I – Brasília – DF

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima