PMovil fecha 2003 com faturamente de R$ 3,8 milhões

0
12

A PMovil, fornecedora de aplicações móveis e responsável pela operação dos chats de algumas operadoras de telefonia, anuncia o balanço final de 2003. A empresa encerrou o ano com faturamento de R$ 3,8 milhões, um crescimento exponencial sobre 2002, o primeiro ano de operação da empresa, quando atingiu R$ 400 mil nos seis primeiros meses de atuação. Para este ano, a previsão é alcançar uma receita de R$ 7 milhões.
“Nosso resultado foi fruto principalmente da nossa presença no segmento de chats, e de Ring Tones, no qual já reunimos hoje um acervo de 500 músicas para os tons de chamada”, diz Fabian de la Rua, CEO da PMovil. Ele acredita na continuidade da expansão do mercado de aplicativos e serviços móveis em função da tendência de personalização dos celulares e dos serviços de entretenimento. “Cada vez mais o usuário quer ter um celular personalizado, seja na música do Ring Tone, no wallpaper ou mesmo com a possibilidade de transmitir fotos e participar de comunidades de chat”, acrescenta.
As plataformas da PMovil somaram no ano passado 96 milhões de minutos nas salas de chat das suas operadoras clientes e a troca de 540 milhões de mensagens em SMS. Até o final do primeiro trimestre, a PMovil irá expandir suas operações para Peru e Colômbia, acrescentando mais 6 milhões de potenciais usuários para o serviço de chat. Além disso, o México é outro país onde a empresa já estuda ingressar. Em Ring Tones a PMovil contabilizou 5 milhões de downloads em 2003 e, com o crescimento nas vendas de celulares polifônicos, a expectativa é chegar a 20 milhões este ano. “Vamos adotar uma estratégia de popularização das musiquinhas para celulares para abraçar a liderança também neste segmento”, avisa Fabian.
Outra aposta da PMovil é em MMS, “com o avanço no mercado brasileiro dos novos terminais dotados de recursos como máquina digital e telas coloridas, este ano o MMS ganhará força ainda maior na América Latina”, prevê o CEO da PMovil.