Preços no varejo paulistano registram queda

0
2



Pela primeira vez no ano, o preço no varejo paulistano sofreu queda de 0,03% em outubro em relação ao mês anterior, segundo apurou o Índice de Preços no Varejo (IPV) da Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio). No ano acumula alta de 2,66%. A variação dos produtos nos segmentos de supermercados, vestuários, tecidos e calçados, combustíveis e lubrificantes e eletroeletrônicos contribuíram para a queda, enquanto os segmentos de feiras, matérias de construção e móveis e decorações foram responsáveis pelas pressões altistas do índice.


A variação mais significativa do mês de outubro foi no segmento de Supermercados, que atingiu baixa de 0,30%, ante alta de 0,47% em setembro e no acumulado do ano o segmento apresenta elevação de 6,67%. O setor de vestuários, tecidos e calçados acusou a quarta variação negativa do ano (-0,34%) em outubro, ante os negativos 0,14% de setembro. O grupo de combustíveis e lubrificantes apontou em outubro a quinta variação negativa consecutiva (-0,50%) e no ano, o segmento acumula queda de 3,03%.


Os preços no segmento de eletroeletrônicos também tiveram queda de 0,74% em outubro. Em 2007 a atividade aponta queda de 9,8%, a maior dentre todos os grupos pesquisados pelo IPV. Outros grupos fecharam outubro com redução nos preços: eletrodomésticos (-0,77%), floriculturas (-1,44%), padarias (-0,03%), autopeças e acessórios (-0,15%) e material de escritório e outros (-0,02%).


Na outra ponta do IPV, o segmento de feiras apresentou crescimento de 2,51% em outubro e acumula no ano alta de 6,84%. Já o setor de material de construção apontou alta de 1,61% em outubro ante alta de 2,06% no mês anterior. No ano a atividade acumula alta de 7,73%. O segmento de móveis e decorações teve elevação de preços de 0,56% em relação ao mês anterior, acumulando nos dez meses do ano alta de 0,88%. Outros grupos que acusaram elevação de preços em outubro: veículos (0,26%), açougues (1,02%), drogarias e perfumarias (0,11%), brinquedos (0,47%), relojoarias (0,29%), óticas (0,25%), jornais e revistas (0,46%), livrarias (0,03%) e CD´s (0,19%).