Premiação reconhece gestão de qualidade

0
3
A edição 2013 do Prêmio Nacional da Qualidade, PNQ, reconheceu três organizações brasileiras pela excelência da sua gestão. As empresas Elektro (Campinas-SP), Sabesp Leste (SP) e Sabesp Norte (SP) receberam a nota máxima na premiação que é considerada o maior reconhecimento à excelência da gestão das organizações sediadas no Brasil. No total foram 11 organizações reconhecidas no processo, que é realizado anualmente pela Fundação Nacional da Qualidade, FNQ.
Além das premiadas, o PNQ reconheceu também quatro empresas finalistas, que alcançaram bons resultados e podem ser consideradas referenciais em muitas práticas de gestão: CPFL Piratininga (SP); EDP Escelsa (ES); Sabesp Sul (SP) e Ampla (RJ). Outras quatro organizações receberam ainda o Destaque por Critério: o Laboratório Sabin, como destaque no critério Pessoas; a Sabesp Centro, como destaque no critério Clientes; a EDP Bandeirante, como critério Cliente e a AES Sul, como destaque no critério Clientes.
As organizações que participam são avaliadas com base no Modelo de Excelência da Gestão, e são classificadas com uma pontuação que indica o nível de maturidade da gestão. A pontuação visa determinar o estágio de maturidade da gestão das organizações, de acordo com seus processos gerenciais, resultados organizacionais, que avaliam diversos fatores. As organizações reconhecidas estão em uma faixa de pontuação elevada e atendem de forma harmônica e balanceada a todos os Fundamentos da Excelência avaliados por oito critérios: Liderança, Estratégias e Planos, Pessoas, Processos, Clientes, Sociedade, Resultados, Informações e Conhecimento, bem como apresentam excepcionais resultados no desempenho da sua gestão.
Segundo o superintendente-geral da FNQ, Jairo Martins, o Prêmio Nacional da Qualidade, PNQ, funciona como um motivador para que organizações implementem um programa de excelência da gestão e realizem um profundo diagnóstico do seu negócio. “A partir do processo gerado pela participação no Prêmio, as organizações tornam-se mais preparadas para as mudanças de cenário econômicos e sociais e são consideradas fontes de inovação para seus clientes e partes interessadas, gerando resultados efetivos, não apenas financeiros, mas também socioambiental, para pessoas da força de trabalho, para os clientes e fornecedores”, afirma.
Nesta edição do PNQ foram 30 organizações candidatas. Dessas, 4 são do setor de saneamento, 2 de saúde, 3 do setor de serviços, 2 do setor automotivo, 1 do setor de alimentos e bebidas, 1 do setor de óleo e gás e 17 de distribuição de energia. Divididas as candidatas por região, 10 estão situadas no Sudeste;  6 no Sul, 4 no Centro-Oeste e 5 no Nordeste. Do total de organizações participantes, 17 passaram para a etapa de visitação e foram avaliadas por mais de 300 examinadores que atuam de forma voluntária.