Procura por pesquisas crescem em 150%

0
0
Com a crise nas vendas, aumento do dólar e outras questões econômicas, empresas estão cada vez mais buscando alternativas para conhecerem e entenderem melhor seus consumidores. Neste quesito, não é surpresa que a medida mais procurada seja a pesquisa, uma vez que ajudam os negócios a compreenderem melhor o cenário de 2015 e aprimorarem e direcionarem seus produtos/lançamentos aos consumidores brasileiros. “O número de solicitações de pesquisas aumentou em 150% com relação ao ano passado” explica Ligia Mello, sócia da Hibou, empresa de pesquisa e monitoramento de mercado. “Segmentos como alimentos e serviços foram os que mais cresceram em pedidos para nós.” 
Inclusive, diante do cenário atual do mercado, as pesquisas quantitativas ganham mais força devido à significância da amostra, contra as qualitativas que são mais perceptivas. Por exemplo, com queda na venda dos imóveis, as construtoras e corretoras imobiliárias têm aprimorado seus conhecimentos sobre o cliente através desses estudos e, por isso, continuam fortes nas solicitações das pesquisas. “Eles nos procuram principalmente para rescues onde o objetivo é entender porque a visita não converteu em vendas e vocação da região para implementar um empreendimento pensando além do que a região comporta, incluindo o que esse futuro morador busca dentro de um universo factível”, diz Ligia.
 
Segundo ainda Ligia, os segmentos de educação e entretenimento estão cada vez mais solicitando pesquisas para analisarem o cotidiano da família brasileira. “Nós sabemos que o comportamento dos brasileiros mudou e, com isso, nós fornecemos informações para que eles consigam buscar alternativas como principais horários, tipos de matérias, e canais de acesso mais utilizados entre outros dados.”