O canal para quem respira cliente.

São Paulo, Brasil - 28 de janeiro de 2022, 15:57

Programas de fidelidade em crescimento

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Dados da Associação Brasileira das Empresas do Mercado de Fidelização (Abemf) mostram que os cadastros em programas de fidelidade no Brasil chegaram a 77,9 milhões no terceiro trimestre de 2016. O número, referente a cinco das empresas associadas à entidade (Dotz, Grupo LTM, Multiplus, Netpoints e Smiles), apresentou um aumento de 15% em um ano e de 4,4% na comparação com o segundo trimestre de 2016. 
Para o presidente da Abemf, Roberto Medeiros, o constante crescimento de cadastros demonstra a evolução do interesse dos consumidores brasileiros pelos programas de fidelidade, o que é natural no processo de maturação do setor. “Como ainda somos um mercado iniciante no Brasil, a tendência é que a quantidade de cadastros aumente a cada trimestre. Essa expansão é impulsionada pela entrada de novos participantes, pessoas que não faziam uso dos programas anteriormente, mas também pelo maior engajamento dos consumidores que já aderiram à iniciativa e passam a utilizar pontos/milhas cada vez mais”, explica ele. “Vale ressaltar também que o atual momento econômico do país contribuiu para que os brasileiros começassem a considerar os programas de fidelidade como uma alternativa para manter o nível de consumo.”
Os indicadores da Abemf apontam ainda que a quantidade total de pontos/milhas emitidos no trimestre foi de 43,7 bilhões, o que representou um aumento de 10,2% em relação ao trimestre anterior. Os resgatados ficaram em 34,9 bilhões de pontos/milhas no mesmo período, o que significa um aumento de 5,3% na comparação com o segundo trimestre de 2016.
O faturamento das empresas alcançou R$ 1,22 bilhão entre julho e setembro, valor 3,5% maior que o trimestre anterior. A taxa de breakage, que mede o percentual de pontos/milhas expirados, ficou 16,9%, ou seja, 0,2 p.p. abaixo da registrada no trimestre anterior.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Programas de fidelidade em crescimento

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin

A Associação Brasileira das Empresas do Mercado de Fidelização (ABEMF) divulgou os indicadores de mercado referentes ao segundo trimestre de 2016. A quantidade de cadastros em programas de fidelidade em cinco das empresas associadas (Dotz, Grupo LTM, Multiplus, Netpoints e Smiles) aumentou 17,5% nos últimos doze meses. Alcançando 74,6 milhões no final do segundo trimestre. Já a quantidade de pontos/milhas acumulados ficou em 39,7 bilhões, 1% menor que o registrado no primeiro trimestre deste ano. Os resgatados foram 33,1 bilhões de pontos/milhas, queda de 4,5% em relação ao mesmo período do ano anterior. A volatilidade do dólar é o principal fator que impacta diretamente no acúmulo e resgate de pontos/milhas.

“Sentimos maior engajamento dos consumidores em utilizar os programas de fidelidade. O crescimento dos cadastros exemplifica isso, claramente, e demonstra mais popularidade por parte dos programas. A queda dos pontos emitidos e trocados, no entanto, é justificada pela alta do dólar, já que os pontos considerados neste trimestre são reflexos do que foi repassado pelos bancos com uma taxa cambial maior, mas, com o dólar retornando sua estabilidade, a expectativa é que esses indicadores voltem a aumentar”, ressalta Roberto Medeiros, presidente da Associação.

Novos indicadores
A ABEMF também apresentou novos indicadores, que destacam as preferências dos consumidores no setor.  As passagens aéreas continuam sendo as preferidas pelos clientes ao trocar pontos/milhas por produtos e serviços. Mas outros produtos têm ganhado espaço. No segundo trimestre, 70,6% dos pontos/milhas foram trocados por bilhetes aéreos. Os outros 29,4% foram para resgatar, principalmente, itens que ajudem no orçamento.

Na faixa até R$ 50, o item mais procurado foi o vale presente. Entre R$ 50 e R$ 100, ficou em primeiro lugar o crédito para combustível. Na faixa acima de R$ 100, o pagamento de contas foi o serviço mais resgatado “Isso demonstra que os consumidores têm utilizado os pontos/milhas não somente para viajar, mas para complementar os gastos do dia a dia”, conclui o executivo.

Outro dado que comprova o quanto o consumidor está vendo vantagem nos pontos/milhas, é o crescimento do acúmulo no varejo. Os associados da Associação levantam que, apesar da maior parte do resgate estar direcionado ao aéreo, apenas 11,7% dos pontos/milhas acumulados são referentes à emissão de passagens. Os 88,3% restantes são acúmulos feitos no varejo e, principalmente, por meio do cartão de crédito, comprovando o valor que o consumidor vê em acumular por outras frentes para viajar mais.

Perfil dos inscritos
No grupo de participantes de programas de fidelização há um percentual de 50,2% de homens e 49,8% de mulheres. A classificação etária apontou que a maior parte dos clientes (38,3%) tem entre 26 e 40 anos. Na sequência aparece a faixa de 41 a 60 anos, com 36,1% do total, os maiores de 60 anos (14,2%) e, por fim, os menores de 25, (11,5%).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima